Nota do Diretor

A Revista no digital

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr
– Oh! Não! Alguém descobriu a minha palavra passe do Facebook!  – E agora?  – Agora? Vou ter de mudar o nome ao meu cão.

 

Estamos em janeiro de 2018, vivemos na Era do Conhecimento e estamos a entrar na Era da Inteligência Artificial.

Há 30 anos atrás, em 1987 ninguém poderia sequer imaginar a atual situação da imprensa digital.  Nessa época, em que ainda não havia smartphones, alguns jornais menores como o norte-americano Albuquerque Tribune, lançaram serviços de notícias on-line, recorrendo ao  Bulletin Board System (BBS) e a modems telefónicos. Seguiu-se a world wide web (www) e os emails e deu-se um contínuo aumento do número de versões digitais dos órgãos de comunicação social, que sofreu um crescimento das audiências de tal forma que, há 10 anos, já se previa o fim da imprensa em papel.

E foi naturalmente essa pressão que levou à decisão, em 2009, da Revista de Marinha de investir na presença na internet, o que justificou num artigo publicado em Julho desse ano:

A Revista de Marinha, única no seu passado histórico de longevidade, tem na sua versão “online”, por vontade da sua Administração, mais uma forma de chegar junto dos seus leitores.

O website da Revista de Marinha

Ou seja, o website da Revista de Marinha, não sendo uma versão online da edição em papel, possibilitou manter a ligação aos seus leitores, diariamente, sem limites geográficos e sem ter de esperar dois meses pela próxima edição.

Presentemente, o site, criado à época numa excelente plataforma, encontrava-se obsoleto e sem a dinâmica agora exigida. Por outro lado, a Revista estava ausente da maioria das redes sociais.

O modelo de negócio da Revista de Marinha tem-se revelado bem sucedido.

Nos anos mais recentes a revista aumentou a audiência na versão em papel. No entanto, hoje, para quem frequenta os transportes públicos, é cada vez mais raro ver alguém a ler um jornal em papel, enquanto é quase total a fixação dos passageiros nas telas dos smartphones.

Uma das razões apontadas para esta situação é o crescimento relâmpago das redes sociais.

A Revista de Marinha vista num smartphone, através da webpage, do facebook, do Google+ e do twitter

As redes sociais

Entre nós, segundo um estudo da Marktest de agosto deste ano, a penetração das redes sociais aumentou quase três vezes e meia entre 2008 e 2017, passando de 17% para 59%.

Ao todo, 3 milhões de portugueses seguem as páginas dos jornais e das revistas através do Facebook.

O estudo revelou também que a maioria segue estas páginas através de equipamentos móveis e não em computadores.

O Facebook é a rede social mais relevante em Portugal, mas novas redes sociais têm emergido nos últimos anos, sendo de destacar sobretudo o Instagram, que é hoje a segunda rede mais conhecida e a segunda de maior penetração.

Por isso era fundamental entrar nas redes sociais e em simultâneo termos um site responsivo, que fosse facilmente lido tanto num computador de secretária como num telefone inteligente.

Assim, enquanto continuamos ligados à maioria dos nossos assinantes que mantêm uma prazerosa ligação com a edição em papel, vamo-nos aproximando dos leitores móveis e digitais. 

Uma nova oferta digital

E o que podemos oferecer aos nossos leitores que nos procuram todos os dias (e não em cada dois meses) nas plataformas digitais?

Em primeiro lugar uma imagem atraente, que os entusiasme com o tema MAR e onde a fotografia substitui as mil palavras que tanto gostamos de ler na edição escrita.

Ao nos ligarmos à página da nossa revista iremos ver em primeiro lugar duas informações: os últimos artigos digitais e as últimas entradas em agenda. Depois desenrolando para baixo, vamos visualizando as crónicas e as últimas recensões dos livros.

Mas é a agenda que queremos seja uma ferramenta muito importante para todos. Aqui vamos poder informar-nos dos grandes acontecimentos nacionais e internacionais ligados à economia do mar. Feiras, Conferências, Competições Desportivas e outras Efemérides do mundo marítimo nacionais e internacionais vão estar disponíveis nesta vossa agenda.

A agenda é algo que se quer seja o mais completo possível e por isso terá de ser apoiada por todos os nossos leitores.

– Sabem de eventos com interesse para o mundo marítimo? Comuniquem-nos!

Sejam todos fornecedores de eventos para a vossa agenda, assim terão a garantia de que ela estará sempre completa e atualizada.

Desta forma, enquanto iremos mantendo o formato em papel a que habituámos os nossos leitores, tentaremos disponibilizar informação actualizada com regularidade e conquistar novos e mais jovens leitores através da internet, tanto na webpage como no Facebook, no Twitter, no Instagram, no Youtube e no Google+.

No futuro próximo a Revista pretende também entrar no LinkedIn, tornando-se um parceiro de referência na área dos recursos humanos.

Oficial da Marinha de Guerra. Especializou-se em submarinos, onde navegou cerca de seis anos. Foi representante nacional na NATO para Electronic Warfare e Psychologic Operations. Esteve colocado cerca de sete anos nos Açores onde foi Autoridade Marítima local. Em 1997 ganhou o prémio de melhor colaborador da Revista da Armada.