Category

Marinha de Guerra

Category

O Ministro da Defesa Nacional presidiu à cerimónia da largada do NRP ZAIRE e do NRP BÉRRIO

Teve lugar no dia 3 de janeiro, na Base Naval de Lisboa (BNL), no Alfeite, a cerimónia de despedida do patrulha NRP ZAIRE e do reabastecedor de esquadra NRP BÉRRIO, que logo após largaram do cais e iniciaram o seu caminho para São Tomé.

A cerimónia foi presidida pelo Ministro da Defesa Nacional, com a presença do Embaixador de S. Tomé, Secretário de Estado da Defesa Nacional, Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, Chefe do Estado-Maior da Armada, Presidente da Camara Municipal de Almada, Presidente da Comissão Parlamentar da Defesa, Chefias da Armada, antigos Comandantes do ZAIRE assim como familiares dos membros das guarnições.

Com todos os navios sitos na BNL embadeirados em arco, o ZAIRE e o BÉRRIO encontravam-se, com as sua guarnições em postos de honras militares, atracados no cais nº 8, onde, frente à tribuna, formaram deputações das suas guarnições, chefiadas pelos seus Comandantes.

A missão dos dois navios enquadra-se nas responsabilidades nacionais na segurança da navegação internacional e no apoio técnico-militar à República de S. Tomé e Príncipe.

Na ocasião usou da palavra o Comandante Naval, V/Alm Gouveia e Melo, que resumiu a missão do NRP ZAIRE que durante um ano irá ter papel importante no apoio à capacitação operacional da Guarda Costeira de São Tomé e Princípe, visando o reforço da vigilancia e fiscalização dos espaços marítimos daquele País. De seguida fez uma intervenção o Ministro da Defesa Nacional na qual salientou o facto do Golfo da Guiné ser uma área de interesse estratégico nacional e onde se colocam importantes desafios à segurança marítima internacional.

o comadante do NRP ZAIRE, 1ºtenente Miguel Faria recebe o Estandarte Nacional do almirante CEMA (foto MGP)

Seguiu-se a entrega da bandeira nacional pelo Almirante CEMA a cada um dos dois Comandantes, que iriam ser içadas nas adriças na posição de “a navegar” após a recolha a bordo da atrás citadas deputações, ao som da Marcha dos Marinheiros tocada pela Banda Armada, que tocou o Hino Nacional na ocasião do içar das bandeiras a bordo. De imediato os navios “tocaram à faina” e prepararam a largada. Pouco passava das 15H00 quando largou o NRP ZAIRE e pouco depois o NRP BÉRRIO ao som das habituais saudações sonoras dos outros navios sitos e do adeus dos familiares.

o NRP ZAIRE a largar do cais da Base Naval de Lisboa (foto MGP)

De salientar que o NRP ZAIRE foi aumentado ao efetivo dos navios da Armada em dezembro de 1971, sendo o sétimo patrulha da classe CACINE, navios concebidos e construídos em estaleiros portugueses para atuação em águas africanas. Sendo um navio em serviço há mais de 45 anos apresenta ainda uma boa condição, tendo sido alvo de uma cuidada preparação para esta missão. Recorde-se que o estado português investiu recentemente cerca de 4 milhões de euros na última revisão do NRP ZAIRE, que decorreu entre 2013 e 2015 no Arsenal do Alfeite.

O NRP BÉRRIO, navio de reabastecedor da esquadra portuguesa, tem como missão o apoio logístico ao patrulha NRP ZAIRE e posteriormente à fragata NRP ÁLVARES CABRAL que em breve irá deslocar-se para o Golfo da Guiné integrando a operação “Mar Aberto” que visa a manutenção da segurança marítima naquela área.

A missão portuguesa vai também ajudar ao nível de infraestruturas em São Tomé, através da construção de um sistema de comunicações de alta frequência (VHF), cobrindo a zone económica exclusiva de São Tomé, e da instalação duma boia de amarração na baía de Ana Chaves. Esta boia, concebida e construída nas oficinas da Base Naval de Lisboa, no Alfeite, com o apoio da Direção de Farois, é alimentada por cabo elétrico marítimo a partir de terra permitindo fornecer eletricidade aos navios que nela amarrem, evitando assim o desgaste dos geradores elétricos dos navios quando não estão a navegar.

Marinheiros e fuzileiros embarcados no NRP ZAIRE apresentam armas em continência ao Hino Nacional

Para além dos elementos das guarnições respectivas, seguem a bordo dos dois navos um total de 18 elementos do Corpo de Fuzileiros, com missões de protecção de força e de treino específico da Guarda Costeira São Tomense, em termos de abordagem de navios, operação e manutenção de botes pneumãticos e respectivos motores fora  de borda.

Por inicitativa das guarnições dos dois navios, foi feita uma recolha de material de apoio às populações mais carenciadas de S. Tomé, levando os navios perto de 3,5 toneladas de material, incluindo vestuário, material escolar e brinquedos.

O NRP BÉRRIO é comandado pelo capitão-de-fragata Adelino Costa Cabral e o NRP ZAIRE pelo primeiro-tenente Miguel Faria. Aos dois comandante e respectivas guarnições, a Revista de Marinha deseja bons ventos e mar de feição.