1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Domingo 28 Maio

De regresso a Leixões, mas com outro nome ...

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


            3615Vindo de Lisboa, entrou em Leixões na manhã do passado dia 7 de Maio, partindo na tarde do mesmo dia rumo a Brest, o OCEAN ENDEAVOUR, que já havia visitado este porto em 2012, dessa vez com o nome KRISTINA KATARINA.

            Este pequeno e simpático navio não é senão a quarta unidade de uma série de sete construídas entre 1980 e 1986 pelo estaleiro polaco Stocznia Szczecinska, de Warskiego, Szczecin e utilizados pelas companhias ex-soviéticas Black Sea Shipping Company, Estonian Shipping Company, Baltic Shipping Company e Far Eastern Shipping Company como ferries e navios de passageiros. Tratam-se dos ferries Ro-Pax do designado projecto B-492/B-493 que constituiram a classe DMITRIY SHOSTAKOVICH, nome que fora atribuído ao primeiro navio da série. Além deste, construído em 1980, foram ainda construídos nesse mesmo ano o GEORG OTS e o LEV TOLSTOY, em 1982 o KONSTANTIN SIMONOV e o MIKAIL SUSLOV e em 1986 o MIKAIL SHOLOKHOV e o KONSTANTIN CHERNENKO. O OCEAN ENDEAVOUR, que agora visitou Leixões, é o KONSTANTIN SIMONOV, que teve o número de estaleiro 492/03, e que foi entregue à FESCO, Far Eastern Shipping Company em Abril de 1982.

            É curioso notar que a antiga frota de navios de passageiros soviética era, em meados da década de 1950, uma das maiores do mundo. Tendo começado com a aquisição de algumas unidades ex-alemãs depois da II Grande Guerra Mundial, começou depois a construir os seus próprios navios, muitos dos quais fretados para turismo pela filial soviética CTC Lines de Londres; e quando a Grã-Bretanha retirou do serviço comercial alguns dos seus navios de passageiros, entre os quais o QUEEN ELIZABETH II, para transporte de tropas para as Ilhas Falkland em 1982, a frota soviética em cerca de dois anos conquistou uma fatia substancial do mercado de cruzeiros britânico, subindo de 10 para 42%. Passaria então a ser frequente ver o símbolo da foice e do martelo pelos mares do mundo…

            Foram nada menos de dezanove os primeiros navios-irmãos de passageiros de alto-mar construídos, num período de seis anos iniciado em 1958, no estaleiro Mathias-Thesen Werft de Wismar, na ex-Alemanha de Leste, para serem periodicamente utilizados em cruzeiros, que constituIrIam a classe MIKHAIL KALININ. Tratavam-se de pequenos navios de 4.722 GT de casco reforçado, especialmente para serem usados nas rotas do Árctico, Báltico, Mar Negro e Pacífico.

            Logo nos inícios dos anos 60 do século passado, segue-se um novo grupo de cinco unidades maiores, de cerca de 20.000 tons, a classe IVAN FRANKO, da qual ainda navega o ALEKSANDR PUSHKIN, o agora MARCO POLO.

            Nos princípios dos anos 70, novo aumento de frota se verifica, desta vez com a aquisição de mais quatro unidades de cerca de 22.000 tons, em segunda mão, entre as quais se destaca o HAMBURG, que nos seus últimos tempos de propriedade alemã navegou como HANSEATIC, de cerca 3615 01de 24.900 GT e que viria a navegar como MAXIM GORKY sob bandeira russa.

            Mas o crescimento da frota soviética não pararia aqui, pois na mesma década, em 1975-1976, deu-se início à construção de mais cinco navios de cerca de 16.300 GT, a classe BELORUSSIYA de cruiseferries, também conhecida como classe GRUZIYA, nos estaleiros Wärtsilä de Turku, Finlândia. Durante a década de 1980 todos os navios desta classe foram reconstruídos e transformados em navios de cruzeiros, sendo vendidos no final da década de 90. Quatro destas unidades ainda navegam, se bem que com outros nomes, uma das quais, o BELORUSSIYA, já tem visitado Leixões como DELPHIN, desde 2009 ao serviço da companhia alemã Hansa Kreuzfahrten.

            Porém, ainda na década de 80, aparecerá a classe DMITRIY SHOSTAKOVICH, o designado projecto B-492/B-493 com sete navios de 9.878GT, construídos entre 1980 e 1986, à qual pertenceu o KONSTANTIN SIMONOV que agora visitou Leixões como OCEAN ENDEAVOUR.

            Depois desta digressão, necessariamente resumida do historial da frota ex-soviética, importa conhecer melhor a unidade que agora visitou Leixões.

            O OCEAN ENDEAVOUR foi construído como navio Ro-Pax KONSTANTIN SIMONOV pelo estaleiro polaco Stocznia Szczecinska, de Warskiego, Szczecin, casco nº B492/03, como já referido, tendo uma vida bastante movimentada. Foi lançado à água em 17 de Abril de 1981 e entregue em Abril de 1982, mês em que efectuou também a sua viagem inaugural. Tem 137,61 m de comprimento, 21 m de boca e 5,6 m de calado. Actualmente tem um porte de 12.907 GT. Dos seus 9 decks, 6 são de acesso aos passageiros. Navegou com o seu nome primitivo entre 1982 e 1996, embora com vários portos de registo: Esteve registado na União Soviética, em Vladivostok em 1982, passando para Odessa nesse mesmo ano e até 1987. Entre este ano e 1992, passou para o registo de Leninegrado até que de 1992 até 1996 passaria para SanPitersburgo, agora já na Rússia. Em 1996, e até ao ano de 2000, agora com o nome FRANCESCA, o navio passou para propriedade da Pakartin Shipping, com registo no porto de Limassol, Chipre. Porém, não resultou esta utilização na Austrália, pelo que o navio ficaria retirado de serviço em Wilhelmshaven, Alemanha, sendo adquirido em 2000 pela Silver Cruises, que o registaria em Valleta, Malta, agora com o nome THE IRIS, nome que ostentou entre 2001 e 2010, para ser operado pela Mano Maritime de Israel.

3615 02Mas as mudanças de nome e de porto de registo não se ficariam por aqui: Em 2010 o navio foi adquirido pela companhia Kristina Cruises, que o reconstruiu para substituir o seu KRISTINA REGINA e o utilizou até 2013, ano em que abriria falência. Receberia agora o nome de KRISTINA KATARINA que ostentou até ao ano seguinte, tendo o seu porto de registo em Kotka, na Finlândia. Em 2014 foi finalmente adquirido pela FleetPro Ocean (formalmente International Shipping Partners), rebaptizado OCEAN ENDEAVOUR, em 8 de Janeiro de 2014, registado em Majuro, Ilhas Marshall e fretado como navio-acomodação nas Ilhas Shetland. Foi a seguir fretado, a partir do inverno de 2014/15, à companhia Adventure Canada, uma companhia de cruzeiros familiar e independente, sediada em Mississauga, Ontário, no Canadá. Correntemente é utilizado na época de verão no Norte, nas costas do Canadá, Gronelândia e Árctico canadiano; no verão, no Sul, faz expedições na Antártida, com partidas de Ushuaia.

            O OCEAN ENDEAVOUR, projectado para explorar regiões polares, tem casco reforçado para navegação em mares com gelo e embarcações zodiac para exploração e desembarque em locais remotos. Recentemente renovado, oferece uma extensa categoria de espaçosas cabines, um deck de observação e salões agradáveis, como o Aurora Lounge e o Nautilus Lounge, com uma decoração contemporânea, bem como o Meridian Club no deck superior. As suas instalações incluem um spa, solário, piscina de água salgada e aquecida, um ginásio e um restaurante espaçoso, o Polaris Restaurant, recentemente remodelado, bar de sumos e batidos. As actividades complementares incluem ioga e um programa exclusivo de fotografia polar, cientistas em programas de residência, dispondo ainda de uma biblioteca polar e de uma Boutique Polar, para presentes e qualquer outro equipamento necessário.

            O navio pode transportar, em ocupação normal, 462 passageiros, servidos por uma tripulação de 160 elementos. Indicativo de chamada: V7DV9; IMO: 7625811; MMSI: 538005441

Referências:

COOKE, Anthony – Liners &Cruise Ships, Some notable smaller vessels – Carmania Press, London, 1996

MAYES, William – Cruise Ships, fifth Edition – Overview Press, 2014

MILLER, H. William – The Cruise Ships – Conway Maritime Press, London, 1988

SMITH, C. Peter – Cruise Ships, The small scale fleet – Pen & Sword Books, 2014

Transportweekly de 18.12.2009

Texto: Arq. Paiva Leal

Fotos: Reinaldo Delgado


 

Navios de Cruzeiro

MSC Melody Princess-Daphne MSC Lirica MSC Fantasia MSC Sinfonia MSC Opera Athena Princess-Danae MSC Armoria