1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Quarta 26 Abr

Corveta PEREIRA D’EÇA afundada ao largo de Porto Santo

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


3651A Corveta ex-GENERAL PEREIRA D’EÇA, atualmente desarmada e inativa, vai ter brevemente outra aplicação, com o seu afundamento planeado ao largo de Porto Santo.

                  No ano passado, o Governo Regional da Ilha da Madeira lançou o concurso “Instalação de Recife Artificial no Mar da Ilha de Porto Santo, mediante o Afundamento da Corveta General Pereira D´Eça”. A criação de recifes artificiais potencia as condições para o mergulho recreativo, de significativo interesse turistico, o aumento dos recursos piscícolas da região e abre oportunidades à investigação cientifica.

                  Após a adjudicação do contrato a firma Rebonave, empresa de serviços de Reboques e Assistência Naval, teve a oportunidade de participar neste projeto sendo responsável pelo reboque da corveta desde Lisboa até ao porto da ilha de Porto Santo. O envolvimento neste projeto decorreu desde o seu inicio, dando parecer técnico aos trabalhos preparatórios a serem executados, e só foi possível esta colaboração dada a vasta experiência da empresa adquirida pela varias operações em que tem participado ao longo dos seus 27 anos de existência.

                  Assim, foi feita uma avaliação e recomendações do que devia ser executado antes da corveta ser rebocada e posteriormente afundada. Neste âmbito recomendaram-se princípios básicos na preparação do navio a ser rebocada, tendo em consideração possíveis condições de mar/meteo desfavoráveis, durante a viagem. De entre estes, realça-se a correta selagem do navio prevenindo a entrada de água para o seu interior, o peamento adequado de todos os objeto passíveis de criar dano à integridade do casco, assim como uma correta distribuição de pesos/lastro para efeitos de estabilidade.

                  Tendo em consideração o destino final deste navio, os aspetos ambientais assumiram importância acrescida, assegurando que não3651 01 existirão contaminações químicas ou biológicas.

                  A operação de reboque teve inicio no dia 15 de Junho, partindo do Estaleiro da Naval Rocha, em Lisboa, com uma duração de quatro dias, estando prevista a chegada a Porto Santo no dia 19. Durante toda a viagem, até ao seu destino final, foi feito um acompanhamento e monitorização da corveta.

                  A Revista de Marinha felicita a Rebonave pelo sucesso de mais uma operação, que aumenta o seu portfolio e diversifica a sua oferta de serviços e que mais uma vez demonstra o gosto pelos desafios, encarando-os com a seriedade e profissionalismo.

 


 

Navios de Cruzeiro

MSC Melody MSC Opera MSC Armoria MSC Lirica MSC Sinfonia MSC Fantasia Athena Princess-Danae Princess-Daphne