1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Segunda 24 Jul

Barca EUROPA visita o rio Douro

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


3711Foi com alguma surpresa que se viu anunciada a chegada ao rio Douro, no passado dia 14 deste mês, do navio de passageiros EUROPA, ainda por cima por ter sido anunciada a sua partida apenas para o dia 17.

Chegou pelas 14h30 do dia 14, procedente do porto de Scheveningen, na Holanda, atracando no cais da Ribeira do Porto, tendo partido às 14h00 do dia 17, rumo a Santa Cruz de Tenerife.

A dita surpresa resultava não só do facto de associar tal nome a uma das unidades da conhecida firma armadora Happag Lloyd, alemã, que já tem visitado Leixões, como também do facto que as visitas dos navios de cruzeiro usualmente não vão além de algumas horas, contrariamente à demora de dias prevista para o EUROPA agora esperado; para além de que as dimensões de ambos os navios também não eram coincidentes, designadamente no que respeita ao respectivo calado que, no caso do da Happag, por certo não lhe permitiria a entrada no Douro…

Nas pesquisas efectuadas, foi com alguma dificuldade que se encontraram alguns dados da unidade acabada de chegar. Apenas o recurso ao Nº IMO, que por mero acaso havia sido anotado, permitiria chegar a alguma informação relevante.

Este navio, que hoje navega como uma elegante barca, começou por ser um navio-farol no rio Elba, construído em aço no estaleiro Stülcken & Sohn de Hamburgo (casco nº 409) em 1911, a que foi dado o nome de SENATOR BROCKES. Não motorizado, serviu ininterruptamente a Guarda Costeira da ex-Alemanha Federal como navio-farol e estação de pilotos até 1977, se bem que desde 1975 se houvesse começado a substituir os navios-farol, caros e de trabalho intensivo, por bóias e estações automáticas. Como quase todas as unidades deste tipo possuíam casco de veleiros, para se comportarem bem em águas por vezes ásperas.

Em 1985 um holandês de Hamburgo comprou o navio, ou o que dele restava, a preço de sucata, e começou, em 1986, a convertê-lo num verdadeiro veleiro. Como tal conversão começou a ficar excessivamente cara, acabou por vender o casco a um outro holandês, Harry Smit, que o fez rebocar para os estaleiros de Scheveningen,investindo alguns milhões na sua reconversão, processo que demorou 8 anos. Em 1994, apareceu como uma barca de três mastros, com uma área vélica de 1250m2. A altura do mastro maior é de 33 m e todas as velas são manejadas manualmente. A partir de salvados de navios antigos foram recuperados e instalados no interior do navio painéis de mogno e processada tradicionalmente grande quantidade de bronze. A conversão foi tanto exterior como no interior, tendo sido remodeladas todas as cabines e instaladas áreas públicas comuns. A maior parte da renovação e reequipamento do EUROPA foi feito em Zouthaven, em Amesterdão, na Holanda. Uma particularidade deste navio é que além dos 16 elementos da tripulação, os 48 passageiros que pode acolher a bordo colaboram activamente nas manobras, cumprindo turnos de 12 horas por dia, funcionando assim como um navio de treino de mar.

Em 2002 e 2003, o EUROPA rondou o Cabo Horn e em 2010 participou na regata Velas Sudamérica, uma regata histórica latino-americana com 11 veleiros3711 02 para celebrar o bicentenário dos primeiros governos nacionais da Argentina e do Chile. Em 2013 e 2014 o navio empreendeu uma volta ao mundo, acompanhado por dois outros veleiros holandeses, o TECLA e o OOSTERSCHELDE, partindo da África do Sul e visitando as Maurícias, a Austrália e a Nova Zelândia. Partindo depois da Nova Zelândia, rondou o Cabo Horn, completando a circumnavegação em Amsterdão, em Junho de 2014. Supõe-se ser esta a primeira vez que o veleiro EUROPA entra no rio Douro, se bem que já em 2012 tenha estado no porto de Setúbal.

O navio arvora bandeira holandesa, sendo operado pelo armador Rederij Bark EUROPA, de Rotterdão, Holanda, sendo Scheveningen, Haia, o seu porto de armamento.

Em 24 de Março de 2010, em Ushuaia, na Argentina, foi-lhe instalada uma nova figura de proa, executada por Lynx Guimand, em substituição da anterior, executada por Annemarie Visser, instalada em 1980, que havia sido danificada por um icebergue quando navegava na Antártida. Ambas as figuras, no entanto, foram baseadas na história da Europa, da mitologia grega.

O EUROPA tem um comprimento de 56 m, 7,5 m de boca e 3,8 m de calado. O mastro grande possui 33 m de altura. Tem uma tonelagem de 303GT, e possui 30 velas com uma superfície vélica total de 1250m2. A tripulação é composta de 16 elementos, que funcionam como formadores, e pode transportar 48 passageiros, que participam em todas as tarefas de bordo, como formandos. Indicativo de chamada: PDZS; nº IMO: 8951932

Texto: Arq. Paiva Leal

Fotos: Reinaldo Delgado

 


 

Navios de Cruzeiro

MSC Melody MSC Fantasia MSC Opera Princess-Danae Princess-Daphne MSC Sinfonia MSC Armoria Athena MSC Lirica