1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Domingo 30 Abr

Os 150 anos do Clube Militar Naval Sessão Solene Comemorativa

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


3756 01O Clube Militar Naval (CMN), o clube privado dos Oficiais da Armada, foi fundado em 15 de Novembro de 1856, estando assim a comemorar neste ano os seus 150 anos com diversos eventos e iniciativas.

            O ponto alto das comemorações foi uma sessão solene que teve lugar no passado dia 16 de Novembro, na sede do clube, na Av. Defensores de Chaves, nº 26, em Lisboa, presidida pelo Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas. Na assistência tomaram lugar o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, o Secretário de Estado da Defesa, o Chefe do Estado-Maior da Armada, os antigos Chefes de Estado-Maior da Armada, os Corpos Sociais do CMN, os presentes e os anteriores, representantes de clubes congéneres e muitos sócios, de diversas patentes e idades, do Almirante ao cadete da Escola Naval, enchendo por completo as instalações do clube.

            A sessão em apreço iniciou-se às 18h00, com a chegada do Prof. Dr. Marcelo Rebelo de Sousa, que procedeu ao descerramento de uma placa comemorativa no átrio da entrada principal do clube, após o que, assinou o Livro de Honra na sala D. Luís.

            Em seguida iniciou-se na sala de jantar, transformada em anfiteatro, a sessão solene propriamente dita, com uma alocução proferida pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Alm. Gameiro Marques, que terminou com a oferta da medalha comemorativa e do livro “Clube Militar Naval – 150 anos”, já objeto de menção nesta revista, aos membros da Comissão de Honra e ao sócio mais antigo vivo, o Alm. Almeida d’Eça. Seguiu-se a 3756 02alocução do Presidente da Direção, Cte. José Miguel Picoito, que se referiu à rica história do clube, e a aposição de carimbo e assinaturas no postal alusivo ao 150º aniversário do CMN, na presença do Dr. Francisco de Lacerda, Presidente do C. A. da C.T.T., S.A. . Por fim, a alocução do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, que se referiu com muito carinho e afeto à Corporação dos Oficiais da Armada e ao seu valioso contributo dado à Nação ao longo destes anos, terminando com a entrega ao Alm. Gameiro Marques, representando o clube, das insígnias de Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique. A sessão terminou com o Hino Nacional executado por um quinteto de metais da Banda da Armada e acompanhado pelas vozes dos presentes.

            No final da sessão solene teve lugar, no salão do primeiro andar, um “Porto de Honra”, permitindo a confraternização dos muitos sócios, convidados e entidades oficiais e que foi animado pelas “salvas artilheiras”, comandadas pelo sócio oficial especializado em artilharia mais moderno, depois de devidamente autorizado pelo “artilheiro” mais antigo ali presente.

            Uma sessão muito participada, emotiva mesmo, que decorreu com a dignidade e elevação que o CMN e a Corporação dos Oficias da Armada justamente merecem e a que quem estas linhas escreve se orgulha de pertencer.

            A Revista de Marinha, que tem em vigor um protocolo de colaboração com o CMN, felicita vivamente os Corpos Sociais e os sócios do clube por este simbólico evento, tão dignamente comemorado.

 Por A.F.

 

 


 

Navios de Cruzeiro

Athena MSC Armoria MSC Opera MSC Melody Princess-Danae MSC Fantasia MSC Sinfonia Princess-Daphne MSC Lirica