1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Quarta 23 Ago

Workshop “Viver o Douro com mais segurança”

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


            3861 01Para se tornar compreensível a história do restauro da Capela-farol de São Miguel-o-Anjo, recorro à notícia publicada na página 15 da RM nº 988, relativa aos meses de Novembro/ Dezembro de 2015, visando a recuperação do edifício, por se tratar de monumento nacional, construído em 1528, e da torre anexa, estando ambos muito degradados. Lembro igualmente o protocolo de colaboração assinado entre a Direcção Regional de Cultura do Norte, a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo e a Marinha Portuguesa, no dia 24 de Julho de 2015, no sentido de valorizar e dar justa visibilidade à Capela-farol, situada na zona da Cantareira, em frente da barra do rio Douro.

            De acordo com o noticiado na ocasião, estava programada a cedência de uma pequena parte da casa onde está instalada a Estação do Instituto de Socorros a Náufragos, sendo feitas obras para renovar este edifício, criando melhores condições de habitabilidade aos funcionários, que ali prestam serviço.

Decorridos cerca de 21 meses após a assinatura do protocolo, tanto a Administração dos Portos, como a Marinha Portuguesa, deram por cumprida a sua parte no acordo de colaboração, e, celebrando o fim das obras, foi agendada a cerimónia da reinauguração da Estação do Salva-vidas, por suas Exas. o Ministro da Defesa, Dr. José Azeredo Lopes e pela Ministra do Mar, Engª. Ana Paula Vitorino.

            A anteceder este acto simbólico, a Marinha Portuguesa programou um workshop com ambos os ministros ali presentes, sob a denominação “Viver o Douro com mais segurança”, reunindo um grupo de oficiais de Marinha, que tem vindo a estudar as actuais condições de navegabilidade, ao longo de toda a3861 02 extensa via fluvial. Estas preocupações são legitimadas pela necessidade de promover acções de segurança, seja no leito do rio, ou nas suas margens, face ao crescente aumento do trafego marítimo-turístico, que conta nesta data com um número superior às 100 unidades, entre barcos rabelos e navios-hotel, sem descurar o trafego comercial para Sardoura e simultaneamente as embarcações de pesca.

            Presidiram à mesa dos trabalhos o Dr. Azeredo Lopes e a Engª. Ana Paula Vitorino, ladeados pelo secretário de Estado da Defesa, Dr. Marcos Perestrello, pelo Presidente do Conselho de Administração dos portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, Engº Brogueira Dias, pelo digníssimo Almirante C.E.M.A., António da Silva Ribeiro e ainda pelo Director Geral da Autoridade Marítima, Vice-Almirante Luís Sousa Pereira. O V/Alm. Sousa Pereira agradeceu a presença dos convidados, aproveitando para divulgar diversas acções com que a Marinha espera, a curto prazo, contribuir para a melhoria de meios e equipamentos a serem utilizados no Douro.

            Seguiu-se-lhe o Engº Brogueira Dias, referindo-se aos desafios da Segurança no rio, desde a barra até Barca d’Alva; na ocasião anunciou também estarem previstas obras para breve, no sentido de ser melhorada e requalificada a área envolvente à estação do Salva-vidas.

    3861 03        É fundamental ter consciência que entra no circuito marítimo-turístico um número que ronda o milhão de passageiros, e que há cada vez mais navios-hotel a navegar no Douro. Foi inclusivamente comentado o aumento da frota da CroisiEurope, com a chegada do navio-hotel JOSÉ RÉGIO, estando também prevista a chegada no próximo mês para esta empresa do MIGUEL TORGA. Quanto à Scenic Cruises, já tem no rio a navegar o segundo navio-hotel, o SCENIC AMBER e a Douro Azul passa a contar a partir do dia 25 de Março com duas novas unidades, o DOURO ELEGANCE e o DOURO SERENITY.

            Por sua vez o CFrag. Fernandes Fonseca deu a conhecer o plano de acção em caso de cheias no rio Douro (integrado no Plano “Arca”), enquanto o Comodoro Luís Ramos Borges, apresentou os planos de reestruturação a que vai ser sujeito o edifício, onde está instalada a Capitania do Porto do Douro.

            Pela Protecção Civil usou da palavra, numa breve alocução, o TCor. Carlos Alves, afirmando estar perfeitamente cimentada a colaboração da ANPC com a Autoridade Marítima, lembrando da existência de 35 quartéis de bombeiros, espalhados ao longo do percurso fluvial.

            Foi muito apreciada a apresentação efectuada pelo CFrag. Reis Arenga, sobre o levantamento hidrográfico, o novo projecto de assinalamento e a correspondente carta náutica do rio Douro, que o Instituto Hidrográfico se propõe disponibilizar aos interessados. Terminou a sua intervenção com a passagem de um documentário filmado desde a foz do Douro, até à barragem de Crestuma, dando a conhecer os fundos do rio, alguns dos quais em zonas onde com surpresa foram encontradas substanciais profundidades. Ainda relacionado com as 3861 04apresentações propostas neste workshop, o Capitão do Porto do Douro, CFrag. Rodrigues Campos, recentemente empossado nestas funções, explicou o Plano de Salvamento Marítimo da Capitania do Porto do Douro, lembrando alguns sinistros ocorridos com diversos tipos de navios, fora do porto e no leito do rio. Daí a necessidade da presença próxima e contínua de pessoal equipado e bem preparado para atender às múltiplas situações de emergência. Coube-lhe da mesma forma apresentar o dispositivo previsto no programa de patrulhamento do Douro, dando a conhecer os meios disponíveis na Capitania deste porto, aumentados com uma viatura munida com um radar acoplado, facilitando a vigilância de vários locais em pontos estratégicos do rio, a partir de ambas as margens. Um drone deverá ser incluído no equipamento futuro, e lanchas semi-rígidas ficarão de atenção em espaços junto às albufeiras, aumentando também, neste aspecto, a capacidade de resposta.

            Em declarações à imprensa, a Exma. Ministra do Mar lembra que a via navegável do Douro é a maior da Península Ibérica, pelo que a sua promoção serve do mesmo modo a coesão territorial, razão suficiente para considerar a sua importância no âmbito do serviço público.

            Já o ministro da Defesa, salientou ter em agenda a compra de mais material e equipamento para os socorros a náufragos, privilegiando todo o território nacional mais carente desses meios, com uma verba na ordem dos 3 M€.

            No final das apresentações decorreram as assinaturas do protocolo entre o IH e a APDL no âmbito da cooperação técnica nos domínios da hidrografia, 3861 05cartografia náutica e oceanografia, firmada pelo Presidente do Conselho de Administração da APDL, Engº. Brogueira Dias e pelo Director do Instituto Hidrográfico, C/Alm. Coelho Cândido, que acto contínuo assinou outro protocolo, agora entre o IH e o CIIMAR no âmbito de investigação marinha, com o Presidente do CIIMAR, Professor Doutor Vítor Vasconcelos.

            Antes de ser encerrada a cerimónia, foi inaugurada a Estação do Salva-vidas do Douro, tendo ambos os ministros descerrado uma placa alusiva ao acontecimento, seguindo-se uma visita breve às renovadas instalações. Nos momentos finais, durante um lanche, o Comandante-Geral da Polícia Marítima, V/Alm. Luís Sousa Pereira, fez o lançamento do livro “Polícia Marítima – Proteger Portugal no Mar”.

                                                                                   

 

Por  Reinaldo Delgado

 


 

Navios de Cruzeiro

MSC Melody MSC Fantasia Princess-Daphne MSC Armoria Athena Princess-Danae MSC Sinfonia MSC Opera MSC Lirica