1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Terça 17 Out

“Angra Iate Clube” organiza a Regata da Marinha

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


3907 01A Marinha Portuguesa tem tido um papel relevante na defesa do País, iniciado em 1180, quando sob o reinado de D. Afonso Henriques uma armada muçulmana foi derrotada ao largo do Cabo Espichel. No entanto, já em 1128, dentro de outro contexto histórico, teve lugar uma batalha naval, no rio Minho, em que se confrontaram as regentes do Condado da Galiza (D. Urraca) e do Condado Portucalense (D. Teresa).

                  A nossa Marinha, para além das responsabilidades ligadas à defesa do território Nacional e das cooperações internacionais que o País acordou, desempenha também funções de segurança marítima, de investigação do mar e de ordem cultural.

                  Para os Portugueses, o mar e a Marinha possuem uma dimensão cultural muito significativa, o que tem permitido aos poetas ao longo dos séculos enaltecerem os feitos dos valentes marinheiros quinhentistas na descoberta de um novo mundo. Citando Ruy Belo, ... o meu País é o que o mar não quer.

                  O Angra Iate Clube, com o apoio da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, da Direção Regional do Turismo e da Capitania do Porto, homenageou a Marinha Portuguesa levando a efeito, no dia 20 de Maio, pelas 13 horas, uma regata com o nome desta Instituição.

                  Estiverem presentes à largada, na Baía da Cidade de Angra do Heroísmo, as embarcações SYLPHE, de José Fernandes, 3907 00CORAÇÃO SIMPLES, de Marco Fernandes, RODAMON, de Nuno Peixoto e BONITO, de José Ferreira. Diversas outras embarcações tinham manifestado a intenção de participar nesta regata, mas razões de anomalias técnicas, resultantes da última prova do Campeonato de Vela Cruzeiro, ou por estarem em manutenção, impediram-nas de competir.

                  O campo de regata esteve sobre o efeito de um vento preponderante de sudoeste, que por vezes rondava para sul, com 14 nós e uma ondulação de 1,5 m; as embarcações tinham de rondar o Ilhéu das Cabras por estibordo, com posterior regresso à linha de largada. A Comissão de Regata foi presidida por Dárcio Paiva.

                  A embarcação RODAMON foi a primeira na linha de chegada com o tempo de 1 h 28 m e 34 s, o que lhe permitiu ficar em primeiro lugar na Classe de RAC2, seguida da BONITO. Na Classe RAC1, as embarcações SYLPHE e CORAÇÂO SIMPLES ficaram, respetivamente, em primeiro e segundo lugar.

 


 

Navios de Cruzeiro

MSC Melody MSC Lirica MSC Armoria MSC Fantasia MSC Opera MSC Sinfonia Princess-Danae Princess-Daphne Athena