1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Terça 21 Nov

Uma Maravilha de Cruzeiro

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


3986 00Uma vez que os portos de escala do MSC MERAVIGLIA no decurso do cruzeiro e as visitas a terra não suscitaram qualquer referência especial, pelo contrário, antes de se falar do navio impõem-se algumas considerações sobre a companhia italo-suiça sua proprietária, a Mediterranean Shipping Cruises. Como curiosidade, diga-se que esta companhia é simultaneamente muito antiga e muito moderna, através da sua ligação à família Aponte.

Parece um paradoxo… mas não é! Vejamos porquê:

Na verdade, o primeiro registo ligando a família Aponte aos negócios marítimos remonta ao século XVII e à península de Sorrento, datando de 1675 a primeira referência que lhe é feita. Respeita à felucca GIOVANNINA que durante muitos anos assegurou rotas entre Nápoles e Castellamare de um lado e, do outro, Calábria e Sicília. Vem daqui, por conseguinte, a sua antiguidade, já que a modernidade apenas começa a desenhar-se a partir de 1970.

Efectivamente, foi em 1970 que Gianluigi Aponte, um jovem marinheiro, ex-caixa bancário de Sorrento, fundou a companhia Mediterranean Shipping Company e teve a ousadia e a visão de comprar o seu primeiro navio, o PATRICIA (1.750 GT), a que logo em 1971 se seguiria um cargueiro maior a que deu o nome de sua mulher, RAFAELA (2.696 GT), ambos registados em Monróvia, Libéria. Em 1973, a estas unidades juntar-se-ia o ILSE. Estes três navios representam o início da que é hoje, porventura, a maior companhia de navegação propriedade de uma família, que opera mais de 460 unidades, com prevalência sobretudo nas cargas contentorizadas.

Em 1988 é anunciada a entrada da MSC no negócio das viagens de cruzeiro, comprando para o efeito o icónico MONTEREY (14.799 GT) à Matson Line, navio que operou até 2006. Após esta aquisição e em homenagem ao seu mentor, o magnata Achile Lauro, a MSC assumiu as estruturas do que restava da Lauro Line, companhia que sucedera à Flotta Lauro após a falência desta em 1982. Na sequência desta falência, o ministro italiano da indústria de então, Adolfo Bataglia, deu luz verde à venda do que restava da frota, e o duo Eugenio Buontempo e Salvatore Pianura adquiriram o grupo armador napolitano através de uma oferta pública de 3986 03aquisição, em 19 de Janeiro de 1987. A companhia recém-adquirida, ou o que dela restava, passou a ser a nova Starlauro que viria a ser adquirida pela MSC. De facto, a MSC veio a comprar as acções de Pianura em Dezembro de 1990 e, em Junho de 1991, as de Buontempo, passando assim a ser o único accionista da Starlauro, transformando-a numa nova divisão da MSC, a Starlauro Crociere. À época esta operava apenas um único navio, o ACHILE LAURO (21.119 GT). Este foi mais tarde remodelado e rebaptizado como STAR LAURO (23.629 GT), vindo a perder-se por incêndio ao largo da Somália em 2 de Dezembro de 1994. A seguir à perda deste navio a companhia mudou a sua designação para Mediterranean Shipping Cruises.

Em 1995 é adquirido à Cunard o CUNARD PRINCESS (17.496 GT), que passa a ser o MSC RHAPSODY até ser vendido à Mano Maritime em 2009 e, logo em 1997, é adquirido o STAR SHIP ATLANTIC (35.143 GT) à Premier Cruise Line, que recebeu o nome de MSC MELODY, que ostentou até à sua venda, em 2013, à Sahara India Pariwar.

Curiosamente, embora no historial da MSC consultado não se tenha vislumbrado a sua existência anteriormente à aquisição destes dois navios, o ENRICO COSTA (15.889 GT) aparece-nos vendido à Star Lauro em 1994, que o terá rebaptizado como SYNPHONY, nome com o qual passaria para a MSC quando a Starlauro passou a ostentar este nome. Em 2000 aparece-nos fretado à Golden Sun Cruises que lhe atribuiu o nome de AEGEAN SPIRIT.

A partir de 2003, dá-se o crescimento verdadeiramente explosivo da Mediterranean Shipping Cruises. Um investimento de 5.5 mil M€ faria com que a MSC emergisse no topo do negócio dos cruzeiros marítimos como uma das empresas mais jovens do mundo. Inicia-se uma fase de crescimento em que os estaleiros privilegiados viriam a ser os Chantiers de l’Atlantique/STX France, de Saint-Nazaire onde passam a ser construídas todas as unidades que viriam a integrar as quatro classes da frota 3986 05da MSC, cada uma das quais contemplando quatro navios: a classe Lirica, contém os paquetes mais pequenos, com cerca de 60.000 GT, que recentemente foram remodelados e ampliados em cerca de 24 m. Os trabalhos de ampliação terminaram em 2015, com o correspondente aumento de cerca de 200 cabines, assim como com novos espaços públicos e um novo restaurante, passando de 251.25 m para 275 e passando a tonelagem para as 65.000 GT. Desta classe fazem parte os navios MSC LIRICA (2003) e MSC OPERA (2004), a que viriam a juntar-se o MSC ARMONIA (2001) e o MSC SINPHONIA (2002), entretanto adquiridos à Festival, que abrira falência. A classe Musica, que se seguiu, com navios de porte médio de cerca de 89.600 GT, 293.8 m de comprimento e 1.275 cabines, compreende os paquetes MSC MUSICA (2006), MSC ORCHESTRA (2007), MSC POESIA (2008) e MSC MAGNIFICA (2010).

O crescimento imparável da Mediterranean Shipping Cruises prosseguiu com uma leva de novas construções que integrariam a classe Fantasia, com os seus navios maiores, com um comprimento de cerca de 330 m. Os dois primeiros, o MSC FANTASIA (2008) e MSC SPLENDIDA (2009) apresentam um porte de cerca de 133.000 GT e 1.637 cabines, enquanto os dois restantes, MSC DIVINA (2012) e MSC PREZIOSA (2013) são ligeiramente maiores, com um porte de cerca de 137.900 GT e 1.751 cabines. O último navio desta classe, que tinha o número de código de estaleiro X32, havia sido encomendado pela companhia líbia GNMTC (General National Maritime Transport Company), que viu o contrato de construção denunciado, por falta de pagamento.

Em 2014 a MSC lança um novo e ambicioso plano de investimentos que alcançará 5.1 mil M€, com novas construções e novas classes de navios. Aqui entram a classe 3986 06Meraviglia de que a primeira unidade, o MSC MERAVIGLIA (2017) com 315 m de comprimento, 167.600 GT e 2.244 cabines já foi entregue, esperando-se a entrega do MSC BELISSIMA em 2019, a que se acrescentarão duas outras unidades maiores, os Meraviglia Plus, que alcançarão as 177.000 GT e 2.444 cabines, a entregar até 2020. A classe Seaside com cerca de 160.000GT e 2.090 cabines deverá entrar em serviço entre 2017 e 2018, encontrando-se excepcionalmente em construção nos Fincantieri. Finalmente a classe World, que voltará a ser da responsabilidade dos STX France, deverá ter 200.000 GT e 2.750 cabines. Contará igualmente com quatro unidades e será movida a gás (GNL). O cabeça de série deverá ser entregue em 2.022 e os três restantes em 2.024, 2.025 e 2.026.

A propósito desta enorme expansão da MSC, agora no ramo dos cruzeiros marítimos, são de recordar as palavras do CEO da companhia, Pierfrancesco Vago, para quem a experiência encontrada no DNA da empresa desde o momento da sua fundação é a grande responsável pelo sucesso obtido: ... estas conquistas extraordinárias e os anos de experiência da companhia de navegação MSC, somadas à nossa visão e comprometimento para com o sucesso, têm contribuído para o crescimento e o posicionamento do quarto maior grupo de cruzeiros marítimos do mundo.

Dentro destes conceitos, o novo MSC MERAVIGLIA reflecte bem o espírito inovador da MSC Cruises sintetizados nas palavras de Pierfrancesco Vago quando afirma que nesta ... compartilhamos da mesma paixão, do mesmo espírito de inovação e ambição que fizeram a empresa crescer naqueles heróicos anos dos primeiros navios.

3986 07Embora não tenha a elegância clássica dos navios de passageiros dos anos 50 e 60 do século passado, mesmo assim, a primeira impressão que experimentamos quando nos encontramos pela primeira vez perante este navio é de admiração. E no seu interior perdemos por completo a noção de que estamos dentro de um navio, parecendo antes entrarmos num resort de luxo. Não deixa de ser bonito, apesar das suas enormes dimensões. Todavia, quando nele entramos, da admiração passamos acto-contínuo, ao espanto. Se já tinha expectativas bastante elevadas pelo que já havia lido sobre o que alguma imprensa da especialidade classificava como a “Oitava Maravilha do Mundo”, tenho de confessar que elas foram superadas. Logo à entrada no navio, que se faz directamente pelo sexto piso, somos surpreendidos pela imensa “Promenade” central, com uma extensão de cerca de 90 m, ladeada de luxuosas boutiques, bares e vários locais de diversão e lazer, equipada com um deslumbrante tecto abobadado e totalmente em LED, que proporciona uma ambiência, diríamos, vibrante. Ficamos literalmente sem palavras ... Entre os luxuosos espaços que encontramos ao longo desta promenade, é impossível ficar indiferente a uma inovadora área dedicada aos amantes do chocolate, a chocolataria assinada pelo Chef pasteleiro francês Jean Philippe Maury , o “Jean-Philippe Chocolat & Café”, que nos presenteia com autênticas obras-primas esculpidas em chocolate; ou então, se se preferirem outras guloseimas, é só dar um pulo ao espaço quase em frente, ao “Jean Philippe Crepes & Ice”, da responsabilidade do mesmo Chef. Os gulosos ficam bem servidos! Quem pretender dar um pé-de-dança, para “derreter as guloseimas”, também não precisa de andar muito pois tem ali pertinho a “Plaza Meraviglia”.

Subindo apenas um piso, a “Galleria Meraviglia” oferece os requintados restaurantes “Butcher´s Cut” ou o “Kaito Tepparyaki” e, de cada lado, um “Champagne Bar”. E 3986 08para tomar as refeições, se não quer perder muito tempo à mesa para desfrutar do requinte do menu do “Waves Restaurant” situado no piso 5, basta subir até ao deck 15, onde no “Marketplace Buffet” não falta onde escolher o que se pretende consumir… ainda com a vantagem de à popa se dispor de um amplo espaço coberto aberto ao mar. Quem, porém, aprecia o luxo e o requinte, então tem o “Sky Lounge Bar, um dos mais bonitos, situado num local privilegiado no deck 18, com vista para as piscinas. É um bar luxuoso só para adultos, com um hall deslumbrantemente magnífico, em tons de branco e negro, onde se pode ouvir música ao vivo.

O entretenimento é algo que não falta a bordo. Os amantes de emoções fortes dispõem da “Ponte Himalaia” no décimo nono deck, que lhes proporciona atravessarem o navio, presos por um arnês, a uma altura de cerca de 60 m acima do nível da água. Sobretudo dedicado aos mais novos, foi criado o “Polar Aquapark” com uma série de diversões que vão desde um simpático espaço dedicado às crianças, o “Aquaplay” até quatro escorregas de água e uma “taça de chapagne”.Os amantes de jogos de alta tecnologia, por seu lado, podem desfrutar de um flight simulator para experimentar os seus dotes de piloto de aviões, ou então do F1 simulator com duas réplicas de máquinas de Fórmula 1 que lhes proporcionam “conduzir” um bólide a alta velocidade num qualquer circuito! Mas se se quiser disputar um jogo de futebol de salão, basquete ou voleibol tem-se à disposição, no piso 16, um polidesportivo que pode ser convertido em discoteca em certas ocasiões. Um outro espaço, com duas pistas de bowling, goza de belas vistas para o mar. Mas as crianças também não foram esquecidas, podendo fazer as suas brincadeiras nos clubes Lego ou Chicco, entre outros espaços.

3986 09No entanto as ofertas de entretenimento não se ficam por aqui, pois os amantes do jogo também dispõem de um casino luxuoso e bem equipado. Os espectáculos a bordo são uma boa surpresa e algo a não perder. O Cirque du Soleil at Sea é a estrela de bordo e obriga a marcação prévia, apresentando dois espectáculos durante seis noites por semana, exclusivos e criados especificamente para o MSC MERAVIGLIA, cheios de cor, luz e movimento. O Carousel Lounge, que dispõe de 413 lugares e onde tem as suas performances, é um espaço criado especificamente e à medida, perfeitamente personalizado, graças à parceria estabelecida entre a MSC Cruzeiros e o “Cirque du Soleil”,. É um local de actuação circular, com uma parede de vidro igualmente circular de 180º e dispondo da tecnologia mais recente! No “Broadway Theatre”, com 985 lugares, os espectáculos também não nos defraudam. Pode dizer-se que são, de facto, ao nível dos musicais da Broadway… onde não falta mesmo a ópera.

Os espaços exteriores, sobretudo no sun deck, têm áreas extremamente generosas, onde não faltam as pistas para os amantes do footing e onde se proporciona espaço para uma piscina de cerca de 25 m, a “Atmosphere Pool”, inspirada em South Beach em Miami. Este Pool Deck dispõe de dois bares e um ecrã gigante junto à piscina, à frente do qual o Dancing Floor é um local permanentemente animado. Além desta piscina, existe ainda a “Bamboo Pool”, coberta por um magrodome envidraçado e rodeada por um amplo espaço de solarium e junto da qual não faltam os jakuzzi. À popa, a “Horizon Pool” abre-se para o mar e é rodeada por um amplíssimo espaço aberto que à noite se pode transformar em mais um espaço de dança “à luz das estrelas”, por sua vez delimitado pelo “Horizon Amphitheatre”, um belo anfiteatro voltado para o mar e onde não faltam convidativas espreguiçadeiras para os amantes do sol.

Porém as surpresas não terminaram ainda. Falou-se de luxo, requinte, deslumbramento, magnificência e outros adjectivos semelhantes. Faltou referir o “Infinity 3986 10Atrium”, no coração do navio e onde se situam alguns espaços de apoio aos passageiros, com a altura de três pisos servidos por monumental escadaria, e pasme-se, com degraus em cristal Swaroswki! Ou então, a surpreendente forma como estão concebidas as garrafeiras presentes junto a alguns dos restaurantes principais, verdadeiras obras de arte, de esmerado bom gosto, onde poderemos ver vinhos de várias regiões do globo! Os expositores das garrafas constituem-se, verdadeiramente, em objectos de decoração de belíssimo efeito!

No entanto, “não há bela sem senão”: de facto, com o gigantismo que vai atingindo os modernos navios de cruzeiros das várias companhias há inevitavelmente uma inflacção de passageiros. As piscinas, apesar de serem várias, estão permanentemente superlotadas, além de que se torna um autêntico jogo de cabra-cega a procura de uma espreguiçadeira livre no sun deck para gozar de um pouco de sol e de vista de mar; as que nos parecem desocupadas, lá têm uma toalhinha a assinalar que “têm dono”… Claro que não há que admirar, quando a bordo estão mais de quatro milhares e meio de cruzeiristas, mas não deixa de ser aborrecido.

O MSC MERAVIGLIA, líder de uma nova geração de navios, a classe Vista, foi encomendado em 20 de março de 2014 ao estaleiro STX France, de Saint-Nazaire, onde teve o número de código E34. Teve o seu nome anunciado quando a sua primeira chapa de aço foi cortada durante uma cerimónia que se desenrolou em Saint-Nazaire em 20 de Abril de 2015. Foi posto a flutuar em 2 de Setembro de 2016 e principiou as suas primeiras provas de mar em 30 de Março, terminando em 2 de Abril de 2017, após 72 horas de navegação entre a ponta de Penmarc´h e a ilha de Yeu. A segunda saida para provas de mar decorreu desde a manhã de 28 e a tarde de 29 de Abril, com boas condições meteorológicas que permitiram validar as performances do navio no mar.

3986 11A construção do MSC MERAVIGLIA foi dada por terminada em 31 de maio de 2017, data em que foi entregue formalmente à MSC na presença do presidente francês Emmanuel Macron. Durante a cerimónia da troca de bandeiras, o novo navio recebeu a sua bandeira oficial e a bênção de boa-sorte. A honra de madrinha da cerimónia, a quem coube cortar a fita para quebrar uma garrafa de champagne Balthazar no casco do MSC MERAVIGLIA, coube à filha do presidente executivo da MSC, Pierfrancesco Vago e de Alexa Aponte-Vago, Zoe Africa Vago. O baptismo oficial ocorreu em Le Havre no dia 3 de Junho de 2017, tendo como madrinha a actriz italiana Siphia Loren, que tradicionalmente tem sido a madrinha de todos os paquetes da MSC.

O MSC MERAVIGLIA tem um porte de 167.600 GT. Tem de comprimento 315.83 m, de boca 43 m e 65 m de altura. Dos seus 19 decks, 15 são de acesso ao público. Pode transportar 4.488 passageiros nas suas 2.244 cabines e suites de tipologias variadas e 1.536 elementos de tripulação.

Em suma, em apenas 13 anos, após a entrega do MSC LIRICA pelos estaleiros nazairianos, esta jovem companhia entra no “clube dos pesos pesados” da indústria dos cruzeiros marítimos, o que é realmente impressionante tendo em conta que o capital é exclusivamente familiar e que os seus recursos financeiros assentam no poder financeiro da sua actividade no ramo do transporte de contentores.

O MERAVIGLIA tem o código de chamada 9HA4455, nº IMO: 9760512 e MMSI: 249973000.

 

Obs : fotos do autor

por Fernando Paiva Leal (arquiteto)

 


 

Navios de Cruzeiro

Princess-Daphne MSC Sinfonia Princess-Danae Athena MSC Armoria MSC Lirica MSC Opera MSC Fantasia MSC Melody