1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Terça 17 Out

Uma Musa Visitou Leixões

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


4016 00Vindo de Lisboa, esteve em Leixões no passado dia 1 de Setembro o SILVER MUSE, em escala inaugural. Atracando pelas 07.00 horas no cais do terminal de passageiros de Leça da Palmeira, partiu pelas 16.00 horas do mesmo dia, rumo à Corunha.

Este interessante navio é uma das unidades de uma firma, a Silversea Cruises que, contrariando a tendência para o gigantismo que anima uma grande parte das mais importantes companhias, decidiu apostar em navios de média dimensão, mas de grande luxo; ou seja, em vez da massificação de cruzeiristas, o que inevitavelmente conduz a uma menor convivialidade entre os passageiros, optou pelo menor número de convidados por navio, rodeando-os de todas as comodidades e de uma assistência mais próxima e personalizada. Porém, se bem que tenha adotado nas unidades de alojamento dos seus navios a categoria de all-suites, como as demais companhias também não fugiu à tendência de as dotar com varandas privativas, o que de certo modo convida ao isolamento e à menor convivência a bordo.

A Silversea Cruises é uma companhia de cruzeiros de ultra-luxo com sede no Mónaco. Foi fundada em 1994 como uma joint-venture entre a V-Ships (antes conhecida por Vlasov Group) e a família Lefebvre de Roma. Estes co-proprietários já eram donos da Sitmar Cruises. Mas o modelo da Silversea era operar com navios pequenos, all-suite ultra-luxo, de modo que John Bland, seu presidente em 1993-94 poderia afirmar que possuíam … um design de navio diferente, muito confortável em viagens oceânicas, mas suficientemente pequenos para entrar em pequenas ilhas e portos onde os grandes navios não podem entrar.

Uma das características da companhia é a adoção de tarifas com tudo incluído, gratificações, bebidas, incluindo vinhos selecionados ao almoço e ao jantar, taxas portuárias, seguros, etc.; e como a maioria dos clientes eram da América do Norte, estabeleceu-se um escritório de marketing em Fort Lauderdale, Florida.

O primeiro navio da Silversea foi o SILVER CLOUD que entrou em serviço em 1994, logo seguido, em Janeiro de 1995, por um navio irmão, o SILVER WIND, ambos com 16.800 GT. Logo no início do novo século, novas unidades foram adquiridas: o SILVER SHADOW entraria em serviço em Setembro de 2000 e, em Janeiro de 2001, seria a vez de o SILVER WHISPER integrar a frota. Ambas as unidades são uma versão ampliada da classe anterior, tendo um porte de 28.258 GT. Todos os cascos destes navios foram construídos nos estaleiros Francisco Visentini, Triestre, sendo acabados nos T. Mariotti, Génova. O SILVER SPIRIT, a unidade que se seguiria, em Dezembro de 2009, de 36.000 GT, viria, no entanto, a ser construído pelos Fincantieri no estaleiro de Ancona.

Entretanto, ainda no ano de 2008, foi adquirido o pequeno navio PRINCE ALBERT II construído no estaleiro finlandês Rauma-Repola que, para ser alinhado com a habitual nomenclatura da companhia, seria rebaptizado como SILVER EXPLORER em Abril de 2011. Ao mesmo tempo é introduzido o conceito Silver Expeditions.

Em 18 de Julho de 2012 é anunciada a compra, pela Silversea, da principal empresa de turismo equatoriana, a Canodros S.A., com sede em Guayaquil, Equador, que atua nas ilhas Galápagos. A compra da companhia incluiria o antigo navio da Renaissance, o RENAISSANCE III, que navegava com o nome de GALAPAGOS EXPLORER II ao serviço da Canodros, o qual passará a ser o SILVER GALAPAGOS desde Setembro de 2013. Estas duas unidades do ramo Silver Expeditions viriam a ter a companhia, em 2014, do SILVER 4016 01DISCOVERER, o antigo CLIPPER ODYSSEY construído em 1989 nos NK Tsu Works.

No entanto, o crescimento da Silversea Cruises não ficou por aqui: em 1 de Julho de 2015 terminaria um longo período de especulações acerca da construção de novos navios, com a celebração de um contrato com os estaleiros italianos Fincantieri para a construção de uma nova unidade de 40.000 tons, numa versão ampliada do SILVER SPIRIT, que viria a ser o navio-almirante da frota, o SILVER MUSE que há pouco visitou Leixões. Na verdade, as imagens que foram disponibilizadas na altura mostram uma configuração muito semelhante entre estes dois navios, com a exceção das duas chaminés à ré do SILVER MUSE em vez do bloco de chaminés único do SILVER SPIRIT, também presente nas demais unidades da companhia.

Quando da assinatura do contrato, o presidente Manfredi Lefebvre d’Ovidio, frisou que … houve sempre uma relação especial com os Fincantieri, desde os tempos em que o Pai lhes encomendou o primeiro navio de cruzeiros para a Sitmar Cruises, em 1987, acrescentando que … ambas as companhias sempre tiveram um claro entendimento do que os viajantes procuram quanto a originalidade, criatividade e qualidade, e que a equipa da administração, liderada por Giuseppe Bono foi excecional na gestão do projeto da Silversea.

No dia 24 desse mês é anunciado o corte, nesse mesmo dia, do aço destinado à construção do SILVER MUSE, no estaleiro dos Fincantieri em Sestri Ponente, Génova, em cerimónia que contou com a presença de Manfredi Lefebvre d’Ovidio, presidente da Silversea Cruises, enquanto os Fincantieri foram representados por Vicenzo Petrone e Giuseppe Bono, respetivamente seus presidente e diretor executivo. Enquanto Manfredi d’Ovidio afirmava que … o início da construção do SILVER MUSE constituía uma ocasião de orgulho para a Silversea e de voltar aos Fincantieri para celebrar este marco, por sua vez Giuseppe Bono afirmava estarem … muito satisfeitos por voltarem à parceria com a Silversea e que … este projeto oferecia a oportunidade de desenvolver soluções criativas e definir novos padrões para a construção naval no segmento de ultra luxo.

O navio foi posto a flutuar na sexta-feira, 5 de Julho de 2016, dia em que é celebrada a … cerimónia das moedas, que teve como madrinha Costanza Lefebvre d’Ovidio, de 17 anos, filha do presidente da Silversea.

A entrega ao armador do SILVER MUSE, em Sestri Ponente, ocorreu a 3 de Abril de 2017. Participaram na cerimónia de entrega Sua Eminência o cardeal Angelo Bagnasco, arcebispo de Génova, que abençoou o navio, Giovanni Toti, governador da Liguria, o presidente da Silversea Cruises Manfredi Lefebvre d’Ovidio e o presidente executivo dos Fincantieri, Giuseppe Bono que, na circunstância, diria que … um navio de cruzeiro é o resultado da mais complexa inovação e processo de produção e representa o estado da arte nesta indústria, como o prova o SILVER MUSE.

4016 02O batismo do navio ocorreu no Mónaco em 19 de Abril de 2017 e a respetiva bênção foi-lhe dada pelo arcebispo do principado, Sua Exª Reverendíssima Bernard Bassi. Foi madrinha a filha do presidente da Silversea, Costanza Lefebvre d’Ovidio, que quebrou a tradicional garrafa de champagne contra o casco do navio. Com as luzes de Monte Carlo como fundo e apesar de uma chuva de última hora num dia até aí ensolarado, estiveram presentes à cerimónia do batismo o príncipe do Mónaco, Alberto II, que desejou bons ventos e águas bonançosas, Roberto Martolini, CEO da Silversea e ainda o seu presidente, Manfredi Lefebvre d’Ovidio que, em breve alocução, referiu que a companhia não é influenciada por tendências efémeras mas, pelo contrário, defende … tradição, luxo, cozinha e serviço personalizados, elegância e estilo italiano.

O SILVER MUSE tem de comprimento de 212.78 m, 27.00 m de boca, 6.50 m de calado e 40.700 GT de porte. Pode acolher a bordo 596 passageiros e 411 tripulantes.

Este navio oferece um grande número de restaurantes e bares sem que qualquer um se possa dizer ser o principal. Citam-se, por exemplo, o Indochine, com cozinha de acento asiático, o La Terraza com receitas italianas autênticas e ingredientes frescos, o The Grill com coktails ao ar livre, o La Dame by Relais & Châteaux, a mais alta expressão da cozinha francesa, o Kaiseky em que a arte reside numa preparação meticulosa e bela apresentação, refletindo a cultura japonesa, etc. Nas áreas públicas, destaque para o Arts Café, que exibe exposições variadas e constantes, o Panorama Lounge, o casino, a biblioteca o centro fitness e o Opera Theatre.

Nº IMO:9784350; MMSI:311000637; Indicativo: de chamada C6DC5

 

Referências:

SMITH, C. Peter – Cruise Ships, The small scale fleet – Pen & Sword Books, 2014

MAYES, William – Cruise Ships, Fifth Edition, Windsor: Overview Press. 2014

Fincantieri. – Várias Press Releases

Silversea Cruises – Várias Press Releases

Cruise Industry News – Várias notícias

Mer et Marine – Vários artigos

 

Texto: Arq. Paiva Leal

Fotos: Reinaldo Delgado

 


 

Navios de Cruzeiro

MSC Melody MSC Opera MSC Armoria Princess-Daphne MSC Fantasia MSC Lirica Princess-Danae Athena MSC Sinfonia