1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer>
Sábado 22 Jul

Historia Maritima

Cabo Matapão - A última batalha naval portuguesa

3948Há trezentos anos, no dia 28 de Abril de 1717, largava de Lisboa pelas sete da manhã uma esquadra de onze navios com destino ao Mediterrâneo Oriental. Ao comando ia como almirante, na nau capitânia Nossa Senhora da Conceição, Lopo Furtado de Mendonça, (...)

Os Primeiros Navios dos Descobrimentos e Viagens dos Portugueses – Barchas e Varineis

BARCHAS_E_VARINIS_1E acabado assim o recontamento das sua viagem" - escreve Zurara na sua Crónica da Guiné, a propósito da dobragem do Cabo Bojador por Gil Eanes - "fez o Infante armar um "varinel" no qual mandou Afonso Gonçalves, seu copeiro, e assim Gil Eanes com a sua "barcha", mandando que tornassem lá outra vez" (...)

A canoa Polinésia

CANOA_MAORI_3Quando os portugueses chegaram às Ilhas dos Oceanos Indico e Pacífico, nomeadamente às Celebes, viram uma grande número de canoas de casco fino duplo ou monocascos com um ou dois flutuadores laterais para manter o equilíbrio ou formando catamarans de diversos tipos. Os cascos eram frequentemente escavados numa só árvore e as pequenas canoas moviam-se quase sempre à vela enquanto que as grandes ostentavam um importante aparelho vélico. (...)

O Segredo das Trieras Gregas

Antes dTRIERAS-GREGAS-1e se fazer à pista do Aeroporto de Atenas, o avião descreve uma longa curva, projectando a sua sombra nas águas históricas da baía de Eleusis, junto à Ilha de Salamina e aterra depois de sobrevoar a baixa altitude o não menos histórico porto de Falera. Mas, não foram as trieras atenienses em luta contras as naves persas que contemplei do alto; foi antes a crise do "shipping" com dezenas de petroleiros, graneleiros e navios de carga geral(...)

Félix Von Luckner, o Último Corsário Romântico dos Tempos Modernos

FELIX-1A pirataria nos mares é praticada desde a antiguidade. Os Piratas, versão marítima dos saqueadores que atacam caravanas comerciais desde que os povos negoceiam entre si, existem desde que existe o comércio marítimo. Os mais antigos registos vêm dos gregos. Em 730 a.C., eles já pilhavam navios fenícios e assírios, segundo relato de Homero, na Odisseia, embora tenha sido  (...)

A Fragata D. Fernando II e Glória em Cacilhas

D.FERNANDO-2

Desde 26 de Novembro de 2007 que a Fragata D. Fernando II e Glória se encontra em doca seca, na doca nº2 da "Parry & Son" em Cacilhas. Após mais de doze anos a flutuar e a sofrer as agruras da impiedosa força do Sol, do vento e da chuva no seu casco de madeira e demais estruturas, houve naturalmente que a conduzir a local onde pudesse ser convenientemente reparada. (...)

A Difícil História da Construção do Moderno Porto de Lisboa

PORTO-LX-1No dia 31 de Outubro de 1887, o rei D. Luís I, acompanhado pelo chefe do governo de Fusão dos Partidos Regenerador e Progressista, José Luciano de Castro Pereira, puxou festivamente o cordão de uma alavanca que fez cair no rio Tejo a primeira pedra do enrocamento da muralha do Porto de Lisboa. Nessa época e ainda durante os muitos anos de construção do porto, Lisboa não teve um porto de atracagem de navios propriamente dito. (...)

Navios de Cruzeiro

MSC Sinfonia MSC Opera MSC Lirica Athena MSC Fantasia MSC Melody MSC Armoria Princess-Daphne Princess-Danae