Marinha de Guerra

António Mendes Calado é o novo chefe da Armada

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

O Almirante António Maria Mendes Calado, de 61 anos, foi ontem empossado pelo Presidente da República como Chefe do Estado-Maior da Armada.

Natural de Cabeço de Vide, no Alentejo, ingressou na Escola Naval em 1974, tendo cumprido uma longa e muito preenchida vida militar na sua muito querida Marinha, onde se destacam diretor da Escola de Artilharia Naval, oficial de ligação ao comando de treino de mar da marinha britânica –  Flag Officer Sea Training,  Adido de Defesa junto da Embaixada de Portugal em Varsóvia e, em acumulação, das embaixadas de Portugal em Kiev, Bratislava, Bucareste e Budapeste.

Como oficial da Armada, coroou a sua carreira como um dos mais prestigiados comandantes da fragata NRP CORTE REAL, entre julho de 2002 e dezembro de 2005, período durante o qual participou no treino operacional no Flag Officer Sea Training (FOST), comandou a força envolvida na crise da Guiné-Bissau em 2004 e integrou a força naval da OTAN – Standing Nato Maritime Group One em 2005, por um período de seis meses. (*)

O Almirante Mendes Calado, no mar dos Açores, em Março de 2010, como Comandante Regional da Polícia Marítima dos Açores, numa das suas inúmeras saídas com os seus homens.

Como oficial general, destacou-se no Comando da Zona Marítima dos Açores, onde promoveu profundas melhorias, em instalações e equipamentos e se destacou pelas excelentes relações pessoais e institucionais com o Governo dos Açores e as populações. Mais recentemente desempenhou de forma brilhante as funções de Subchefe do Estado-Maior da Armada e Vice-chefe do Estado-Maior da Armada, cargo no qual se encontrava.

António Calado, vai agora liderar a nossa Briosa, num momento crucial, em que se encontram em curso ou a iniciar muitos projectos de reequipamento, como a modernização de meia vida das cinco fragatas, o programa dos patrulhas oceânicos da classe VIANA DO CASTELO (um deverá ser entregue ainda este ano), o programa dos navios patrulha costeiros da classe TEJO e a modernização dos helicópteros LYNX.  Mas também num ano de grande e ambiciosa actividade operacional, com três navios e perto duma centena de fuzileiros embarcados e em operações em África, a saber o patrulha ZAIRE em S. Tomé e a fragata ÁLVARES CABRAL e o reabastecedeor BÉRRIO, em Cabo Verde.

Ao Almirante António Mendes Calado, um verdadeiro marinheiro com mais de vinte mil horas de navegação, a Revista de Marinha deseja bons ventos e mar de feição

(*) nota do editor: o testemunho deste capítulo da sua vida é parte integrante do livro “Comandar no Mar”, um best seller da Editora Náutica Nacional, que pode ser adquirido através do email livros@revistademarinha.com