Desportos Náuticos Náutica de Recreio

Cadetes da Escola Naval de Portugal ganham prémio internacional

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Os dois cadetes-alunos da Escola Naval de Portugal, foram premiados pelo “espírito desportivo mais positivo ao longo do campeonato”, no 52.º Campeonato Mundial Militar de Vela

O Campeonato Mundial Militar de Vela 2021 decorreu em Marín (Pontevedra), Espanha, no período de 6 a 12 de junho, sob a égide do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM).

Os SNIPES de Portugal, Dinamarca, Ucrânia e França em prova no campo de regatas montado na Ria de Pontevedra, entre ilha de Tambo e Raxó (Punta de Sinás). (imagem MDN)
Os SNIPES de Portugal, Dinamarca, Ucrânia e França em prova no campo de regatas montado na Ria de Pontevedra, entre ilha de Tambo e Raxó (Punta de Sinás). (imagem MDN)

O programa de 12 provas foi ganho pela equipa militar italiana, que venceram oito etapas, disputadas todos os dias em ótimas condições climatéricas, com ventos predominantes entre 8 e 18 nós. 

Cada equipa utilizou uma embarcação da classe SNIPE, sendo constituída por dois atletas (1 feminino e 1 masculino), representando nove países: Espanha, Estados Unidos América, Dinamarca, França, Grécia, Itália, Portugal, Rússia e Ucrânia.​

Portugal fez-se representar por uma comitiva da Escola Naval, que incluiu os velejadores  cadetes-alunos Francisca Maurício e Miguel Ribeiro, acompanhados pelo seu treinador, Segundo-tenente Pedro Frazão , e pelo chefe de missão, o Capitão-Tenente Pedro Dias.

Francisca Maurício, Pedro Frazão e Miguel Ribeiro (imagem MDN)
Francisca Maurício, Pedro Frazão e Miguel Ribeiro (imagem MDN)
Francisca Maurício e Miguel Ribeiro a bordo do seu SNIPE em plena regata. (imagem MDN)
Francisca Maurício e Miguel Ribeiro a bordo do seu SNIPE em plena regata. (imagem MDN)

A cerimónia de encerramento, presidida pelo Almirante Fausto Escrigas, Chefe de Pessoal da Armada Espanhola​, decorreu no dia 16 de junho, tendo a equipa portuguesa sido agraciada com o prémio “FAIR-PLAY”, por ter demonstrado o “espírito desportivo mais positivo ao longo do campeonato”. ​

A Revista de Marinha congratula a Marinha de Guerra e a Escola Naval pelo sucesso da sua participação neste campeonato mundial de vela.

Caso algum dos leitores queira seguir os passos da Francisca Maurício e Miguel Ribeiro, aproveite até dia 15 de julho para concorrer à Escola Naval. Toda a informação aqui

Na cerimónia de encerramento subiram ao pódio as equipas italiana (vencedora), russa (2ª classificada) e ucraniana (3ª classificada) (imagem MDN)
Na cerimónia de encerramento subiram ao pódio as equipas italiana (vencedora), russa (2ª classificada) e ucraniana (3ª classificada) (imagem MDN)
João Gonçalves

Oficial da Armada. Especializou-se em submarinos, onde navegou durante seis anos nos navios da classe ALBACORA. Esteve colocado cerca de sete anos como Capitão do Porto nos Açores. Escreveu para a Revista da Armada e em 1997 ganhou o prémio de melhor colaborador. Está na Revista de Marinha desde 2016 e é diretor-adjunto desde janeiro de 2018.

2 Comentários

  1. Schieder Da Silva Responder

    Somos um povo com excelentes qualidades a todos os nìveis,isso mostra que Portugal e neste caso a Escola Naval produz bons materiais,è uma grande escola.
    Made in Portugal è bom e aconselha-se,temos do que hä de melhor no mundo,somos bons trabalhadores,e tudo o que fazemos tem sempre o que de melhor se faz no planeta,isso mostra que a nossa mistura de raças dä bons resultados a todos os nìveis.

  2. De parabéns os cadetes “snipistas”. Que se, sigam muitas mais participações e bons resultados.

Comentar