Category

Ambiente

Category

A Confraria Marítima de Portugal realizou o seu 54º Encontro no dia 16 de novembro, um jantar-debate realizado no restaurante da Associação Naval de Lisboa, junto ao rio Tejo, em Belém. Neste evento, que celebrou também o “Dia Nacional do Mar”, foram acolhidos cinco novos membros, uma Confreira e quatro Confrades, e teve lugar a palestra “Descarbonização, o desafio do século para o shipping. Impactos tecnológicos e sociais”, sendo orador o Confrade Prof. Engº Jorge Antunes.

Esta sessão, onde estiveram presentes mais de três dezenas de Confrades e seus convidados, iniciou-se com palavras do Presidente da Direção, V/Alm. Alexandre da Fonseca, que saudou os presentes, assinalou o sucesso da “Homenagem aos Velejadores da VOR” e informou que a firma TecnoVeritas, de que é CEO o Confrade Jorge Antunes,  havia sido muito recentemente agraciada com um relevante prémio no Congresso “MotorShip”, em Hamburgo, o que suscitou uma salva de palmas da audiência. Em seguida foram entregues recordações da Confraria ao Presidente da Comissão Executiva da “Homenagem aos Velejadores da VOR”, Confrade Dr. Eduardo de Almeida Faria e à Dra. Mafalda Ribeiro da Cunha que, como “voluntária” se destacou na sua colaboração com a atrás mencionada Comissão Executiva.

Antes do início do jantar foram acolhidos os cinco novos membros da Confraria, a saber, por ordem alfabética: Ghislain Fabre, Gonçalo Magalhães Colaço, Mafalda Ribeiro da Cunha, Mathias Heinrich Von Terner e Rui Manuel Reis. Cada um dos novos Confrades foi apresentado à assembleia pelo Presidente da Direção, após o que receberam o medalhão da Confraria com a respetiva fita azul e branca, que lhes foi colocado ao pescoço pelo Confrade que os patrocinou quando da proposta para a sua admissão. Receberam ainda um diploma de mérito, uma gravata (cavalheiros) ou lenço (senhora), de padrão exclusivo para os membros da Confraria, e um pin, entregues pelos membros da Direção presentes.

As diretivas da IMO neste âmbito, que obrigam os armadores a escolhas, todas elas com significativos custos, trazem por outro lado algumas oportunidades aos gabinetes de engenharia e ao setor da reparação e construção naval, a que importa estar atento.

Após terminar a refeição, que suscitou muitos encómios dos presentes, foi dada a palavra ao Confrade Jorge Antunes, que abordou com muita propriedade o tema “descarbonização no meio marítimo”, designadamente no que se refere aos diversos tipos de combustível, analisando os efeitos para o ambiente das diferentes opções. As diretivas da IMO neste âmbito, que obrigam os armadores a escolhas, todas elas com significativos custos, trazem por outro lado algumas oportunidades aos gabinetes de engenharia e ao setor da reparação e construção naval, a que importa estar atento.

Cerca da meia-noite foi a sessão dada por finda, sendo manifesta a satisfação dos presentes com a excelente qualidade da refeição e com a novidade e oportunidade do tema abordado na palestra e no subsequente animado debate.