Category

História

Category

Esta peça de relojoaria, um Nef, era um artefacto verdadeiramente mágico para a época em que foi construído.

Nef deriva duma palavra francesa que se referia a uma Nau, era um ornamento de mesa em forma de um navio, extravagante e rico, normalmente em metais preciosos, provido de automação e relógio.

Com a forma dum galeão medieval, foi concebido em 1585 por Hans Schlottheim (1545-1625), em Augsburgo, no sul da Alemanha e era uma maravilhosa peça de relojoaria, uma máquina espetacular, que servia para chamar para o jantar os convidados da corte de  Augusto I, Eleitor da Saxónia.

O casco, em latão dourado, era todo ornamentado com desenhos do mar e dos montros marinhos, conforme se conceptualizava na época (imagem de João Gonçalves)
O casco, em latão dourado, era todo ornamentado com desenhos do mar e dos monstros marinhos, conforme se conceptualizava na época (imagem de João Gonçalves)

O pequeno espetáculo começava com uma música produzida por um órgão miniatura guardado dentro do casco, toques de tambor e um cortejo de figuras animadas desfilava junto ao castelo de popa. No cortejo estavam representados Augusto e outros seis príncipes-eleitores a apresentarem-se ao imperador Romano-Germânico Maximiliano II.

O barco deslocava-se sobre umas rodas invisíveis ao longo da mesa, parando com grande alarde final, quando um tiro de canhão era dado automaticamente, ao mesmo tempo que incendiava um rastilho que provocava o disparo dos restantes canhões.

Pormenor das figuras animadas junto ao Castelo da popa (imagem João Gonçalves)
Pormenor das figuras animadas junto ao Castelo da popa (imagem João Gonçalves)
A figura do vigia emite sons percutindo o cesto da gávea (imagem João Gonçalves)
A figura do vigia emite sons percutindo o cesto da gávea (imagem João Gonçalves)
Esquema do mecanismo interior (imagem João Gonçalves)
Esquema do mecanismo interior (imagem João Gonçalves)

No seu interior existiam três mecanismos de relojoaria, movidos a corda de mola. Um operava o relógio, o segundo fazia funcionar a música e a percussão, e o terceiro mecanismo de relojoaria impulsionava o galeão sobre a mesa. Toda a animação era controlada por um grande tambor preso lateralmente ao casco. Uns foles forneciam ar ao órgão que produzia a música.

O Nef teve vários donos e no séc. 19 foi parar às mãos dum antiquário, historiador e político britânico, muito apreciador de mecanismos e automatismos. Octavius Morgan, que foi um dos maiores benfeitores do Museu Britânico, ofereceu o Nef ao Museu em 1866.

Esta maravilhosa obra de arte e relojoaria pode hoje ser admirada no Museu Britânico, em Londres.

O Nef tal como está exposto no Museu Britânico, em Londres (imagem João Gonçalves)
O Nef tal como está exposto no Museu Britânico, em Londres (imagem João Gonçalves)