Category

Património Cultural Marítimo

Category

O Oceanário de Lisboa apresenta Hooked on Life do holandês Vincent Mock

Peças únicas criadas com 22 mil anzóis para sensibilizar para a necessidade da conservação do oceano.

O Oceanário de Lisboa apresenta no átrio, a partir de 29 de junho, a exposição do artista plástico holandês Vincent Mock, Hooked on Life, a maior exposição alguma vez feita pelo artista.

A exposição Hooked on Life é uma homenagem aos últimos gigantes do oceano e é uma expressão do profundo fascínio do artista pelo mundo natural. As esculturas expostas de animais marinhos em tamanho real são construídas com anzóis. Esta exposição pretende alertar para o ritmo alarmante da exploração dos recursos marinhos que leva ao seu esgotamento.

Vincent Mock na boca do tubarão.
Vincent Mock na boca do tubarão

 Através das suas obras, o artista desperta uma dualidade de sentimentos nos visitantes; por um lado o êxtase e espanto pela beleza e magnitude destes gigantes do oceano e, por outro, a preocupação com a pesca que os põe em risco, materializada pelo detalhe dos anzóis.

O Oceanário de Lisboa terá em exposição sete instalações, entre as quais uma tartaruga-de-couro, um tubarão-raposo e um tubarão-anequim, criadas especialmente para esta mostra.

Uma Jamanta segundo Vincent Mock
Uma Jamanta segundo Vincent Mock

O autor já expôs algumas destas peças em Amsterdão, Nova Iorque e Israel, estimando-se que tenham sido vistas por 100 mil pessoas. Vincent Mock pretende usar a arte para sensibilizar, despertando o interesse do público para a necessidade urgente de conservar o oceano.

A exposição estará patente no Oceanário de Lisboa até 30 de setembro e não acresce qualquer custo ao bilhete de visita da exposição permanente.

Sobre Vincent Mock

Vincent Mock (1980) é um artista plástico contemporâneo holandês, movido por um profundo fascínio pelo mundo natural. A sua obra situa-se no limite entre a estética e o ativismo e, para ele, sensibilizar é tão importante quanto criar arte. Mock cria peças provocadoras e questiona o papel que a natureza desempenha na nossa existência – e vice-versa.

Vincent Mock e o seu Tubarão Martelo
Vincent Mock e o seu Tubarão Martelo

Vincent Mock é um artista que habita muitos mundos, que viajou desde o deserto africano até as profundezas do oceano. Entre as muitas obras de arte que criou para comunicar as suas ideias sobre o mundo, estão esculturas em tamanho real de animais marinhos ameaçados, chifres de veados gigantes fossilizados decorados com contas ou um crânio dourado de um rinoceronte caçado furtivamente.

Enquanto artista, o objetivo de Mock é chamar a atenção para a importância destes temas, inspirando-nos, em vez de comunicar uma mensagem catastrófica. Prefere mostrar a resiliência da natureza e evocar um sentimento de beleza e unidade intrínseca.  Vive e trabalha em Amsterdão.

(Fonte: Oceanário de Lisboa)