Património Cultural Marítimo

Descoberta uma nau na entrada da barra de Lisboa

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Como acontece tantas vezes, foi nos derradeiros dias da campanha de 2018 do Projeto de Carta Arqueológica Subaquática de Cascais (ProCasC) que uma equipa de investigadores da Câmara Municipal de Cascais, do Centro de Investigação Naval da Marinha e do Centro de História e Além-Mar (CHAM) descobriu os despojos de uma nau que terá naufragado entre 1575 e 1625.

Os últimos dias da campanha foram utilizados para localizar e posicionar os diversos vestígios que surgem da areia, e que incluem partes do casco e diversas peças de artilharia, algumas em bronze de grandes dimensões. Em algumas destas, é possível ver-se o escudo de Portugal, a esfera armilar, portanto, armas de fabrico português. A presença de pimenta e o tipo de construção muito semelhante aos encontrados na nau Nª. Srª. dos Mártires (utilizada na EXPO98), apontam para um navio de origem portuguesa, mas os estudos ainda agora vão começar.

descoberta, património cultural marítimo, história, investivagação, arqueologia subaquática, augusto salgado, cinav, escola naval
Mergulhador junto aos despojos da nau que terá naufragado entre 1575 e 1625.

Importa realçar, que foi a primeira vez que um achado desta magnitude é encontrado durante uma campanha científica. Normalmente, os achados são fruto de “achados fortuitos” realizados por meros utilizadores do nosso mar.

(nota do autor: texto de um dos achados, que servirá de base para a minha próxima crónica)

O Cte Augusto Salgado é oficial da Armada, doutorado em História dos Descobrimentos, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Membro efetivo ​da Academia de Marinha e da Comissão Portuguesa de História Militar. Tem vasta obra publicada sobre História Naval e Arqueologia Subaquática. É colaborador da Revista de Marinha desde finais de 2003.