Ciência e Tecnologia

Energia das ondas – assentamento do cabo elétrico submarino na Aguçadoura

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Depois duma escala técnica no porto de Viana do Castelo, onde entrou no passado dia 28 de dezembro, o navio de abastecimento offshore MV MAERSK ACHIEVER largou no dia de Ano Novo.

O navio rumou à praia da Barranha (Aguçadoura), cerca de 8 km a norte da Póvoa de Varzim, onde vai iniciar o lançamento de um cabo elétrico submarino com 6 Km de extensão, que ficará assente no leito do mar, ligando a subestação existente na Praia da Barranha à caixa de ligação dos conversores de energia das ondas (WEC), situada no topo do sistema de ancoragem, permitindo assim a transferência para terra da energia gerada pelo sistema de conversores do Parque de Energia das Ondas HiWAVE-5, fundeado ao largo da costa.

Os trabalhos nas proximidades da Aguçadoura irão decorrer durante 10 dias, sendo que os principais trabalhos marítimos a ser executados correspondem à instalação de 4 boias de navegação, do cabo submarino e respetivas boias de sinalização, da âncora do WEC e de uma boia de monitorização.

O navio MV MAERSK ACHIEVER atracado em Viana do Castelo (imagem APDL). A CorPower Ocean instalou no porto de Viana do Castelo uma fábrica de produção, montagem, manutenção e reparação de conversores de energia das ondas (WEC) com um investimento de cerca de 16 milhões de euros.
O navio MV MAERSK ACHIEVER atracado em Viana do Castelo (imagem APDL)

Estes trabalhos inserem-se no projeto iniciado pela CorPower Ocean e apoiado por um conjunto de operadores, público e privados, europeus, como sejam a Swedish Energy Agency, Equity Funding, a Portugal Compete 2020 e o EU Grants, em consonância com o plano do governo para o desenvolvimento da energia renovável do país, constituindo um passo importante para a descarbonização e a implementação de energia limpa.

A CorPower Ocean instalou no porto de Viana do Castelo uma fábrica de produção, montagem, manutenção e reparação de conversores de energia das ondas (WEC) com um investimento de cerca de 16 milhões de euros.

Esta infraestrutura provisória está projetada até ao ano 2024, estando a expansão das instalações definitivas em Viana do Castelo dependente do projeto de demonstração a instalar ao largo da praia da Aguçadoura. O facto do navio MAERSK ACHIEVER vir instalar um cabo elétrico submarino de ligação dos conversores a terra é um indicador que o projeto está em progressão.

A tecnologia da CorPower Ocean diferencia-se das restantes por obter cinco vezes mais energia por tonelada de dispositivo e ter uma robustez que garante a capacidade de suportar as mais rigorosas condições de tempo e mar, para além de outras inovações de caráter disruptivo.


Sobre este assunto leia também https://revistademarinha.com/projeto-blue-gift-a-segunda-chamada/

Manuel De Oliveira Martins

Manuel de Oliveira Martins, Comandante da Marinha Mercante, chefiou o Departamento de Pilotagem do Porto de Viana do Castelo de 1985 a 2001. Colabora com a Revista de Marinha desde agosto de 2017.

Comentar