Pescas e Aquacultura

INVISÍVEL, no Museu Marítimo de Ílhavo

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

INVISÍVEL é uma exposição que não se vê, descobre-se aos poucos e apenas se o visitante a tentar descobrir.

INVISÍVEL é uma exposição dentro de outra exposição, instala-se silenciosamente entre a coleção do museu.

INVISÍVEL é uma exposição paradoxal, foca-se em estruturas invisíveis tornando-as visíveis.

INVISÍVEL é um projeto fotográfico coordenado por Hermano Noronha que promove o diálogo entre as peças da exposição permanente do Museu Marítimo de Ílhavo e a invisibilidade das peças que estão em reserva, propondo uma leitura complementar e enriquecedora das coleções do Museu. Esta exposição, inserida nas várias salas da exposição permanente, pretende estimular o diálogo sobre o papel dos museus como instrumentos de preservação e legitimação de objetos e narrativas. (fotografias de Hermano Noronha, Alexandre Sampaio, Ricardo Raminhos e João Malaquias)

Nota: esta exposição encontra-se disponível nas salas de exposição permanente do Museu

Invisível
Hermano Noronha | Biografia

Hermano Noronha (1967) é mestre em Criação Artística Contemporânea, pela Universidade de Aveiro, pós-Graduado em Fotografia, projeto e Arte Contemporânea, pelo IPI-Atelier de Lisboa e licenciado em Educação Física e Desporto. Em 2015 é finalista no prémio Internacional EI Awards 2015 – Encontros da Imagem, sendo selecionado como artista CreArt para a Exposição Europeia 2015, com o projeto “Aveirense”. Em 2014 recebe a Bolsa Estação Imagem Mora 2014 e inicia o projeto “Presente”, frequentando também o curso “Da Ideia ao Projeto” sob orientação de Virgílio Ferreira no Museu Côa. No mesmo ano é ainda convidado para a Coordenação Científico-Artística da Residência Artística “Conviver na Arte 2014 – Campo de Estudos”, da Fundação Robinson. Em 2013 participa como Fotógrafo Emergente no Projeto “Entre Margens”, promovido pela Fundação Museu do Douro e coletivo Kameraphoto…. Em 1990, começa a trabalhar colaborando como fotógrafo na revista AI – Amnistia Internacional, na secção portuguesa.

Oficial da Marinha de Guerra. Especializou-se em submarinos, onde navegou cerca de seis anos. Foi representante nacional na NATO para Electronic Warfare e Psychologic Operations. Esteve colocado cerca de sete anos nos Açores onde foi Autoridade Marítima local. Em 1997 ganhou o prémio de melhor colaborador da Revista da Armada.