Náutica de Recreio

Lisboa, “Capital Europeia do Desporto 2021”

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Em boa hora Lisboa, pela prerrogativa de ser uma cidade com mais 500 mil habitantes, candidatou-se ao estatuto de “Capital Europeia do Desporto”, galardão atribuído a uma só cidade em cada ano.

Algumas cidades de Portugal já foram protagonistas e contempladas com o título de “Cidade Europeia”, são vinte por ano. Em 2016 acompanhámos Setúbal, pela sua forte ligação ao seu plano de águas que é o rio Sado. O resultado foi surpreendente pelo facto dos desportos náuticos serem um dos objectivos propostos para o desenvolvimento local, de forte tradição marítima, tanto de pesca como comercial.

Portugal, pela primeira vez candidatou-se a “Capital Europeia do Desporto”, na corrida para 2021 houve duas finalistas Lisboa, por Portugal, e Haia pela Holanda. A eleita foi Lisboa, confirmação ocorrida durante o Jantar de Gala com o Comité de Avaliação de candidatura realizado a 25 de Novembro, no Espaço Tejo do Centro de Congressos de Lisboa. A Revista de Marinha teve o privilégio de assistir a tão prestigiante prémio para a cidade, que “está na moda”.

Lisboa, “Capital Europeia do Desporto 2021” 63
Magnífica imagem da Volvo Ocean Race de 2012, em Lisboa (foto Ian Roman, VOR)

Os argumentos para tal escolha são inúmeros; se Lisboa é bonita e tem potencial, muito deve ao rio que lhe pertence, o Tejo, que através do seu porto se torna em simultâneo, a grande porta de entrada para a Europa e de acesso ao Atlântico. A aptidão para a prática de desportos náuticos é já um dado consolidado e assumido no mundo da vela.

 

Ouvimos com entusiasmo, por parte de Gian Lupattelli, presidente da ACES Europe – European Capital and Cities of Sport Federation, a entidade que atribui os títulos de “Capital” e “Cidades Europeias do Desporto”, a declaração antecipada de Lisboa como Capital do Desporto 2021, com igual entusiasmo percebemos a satisfação e orgulho de Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, pela distinção alcançada e promovida pelo pelouro desportivo da edilidade, na altura sob a batuta de Jorge Máximo.

No discurso de agradecimento de Fernando Medina, escutámos as suas preocupações com a valorização dos espaços desportivos da cidade e das facilidades que ela oferece durante todo o ano para a prática desportiva, salientando a capacidade organizativa para  eventos de reconhecido gabarito internacional, que Lisboa está capacitada para continuar a mostrar ao mundo. Ao todo está anunciado o investimento de 26 milhões de euros.

Contudo durante estas divulgações para o futuro ano de 2021, não ouvimos qualquer referência à náutica desportiva, nem à possibilidade de aproveitar e valorizar o plano de águas do Tejo.

Lisboa, “Capital Europeia do Desporto 2021” 64
O Tejo, um excelente campo desportivo. (Foto Armindo Ribeiro, CML)

Apesar da cerimónia ter decorrido na sua margem, a única alusão sobre o local, foi a sua apetência à prática de running. Confessamos, soube-nos a pouco, mas como nautas e desportistas, no final do discurso a Revista de Marinha abordou Fernando Medina e em tom de conselho construtivo, alertámo-lo para que não se esquecesse dos desportos náuticos, lembrando-lhe que o Tejo é o maior e mais bonito campo desportivo da cidade. Acolheu a observação, prometendo que esta iria ser alvo de atenção.

Entretanto é Marselha que se despede desta honra, em 2018 será Sófia a distinguida, sendo posteriormente Málaga a passar o testemunho à capital portuguesa. Mas agora é o momento das felicitações.

PARABÉNS Lisboa!

António Peters

Desportista Náutico e há muito ligado às coisas do mar, foi dirigente da Associação Nacional de Cruzeiros, sendo hoje parte dos seus órgãos sociais. Organizador regular de regatas à vela, é também colaborador e comentador da SportTV para a modalidade Vela. Colabora com a Revista de Marinha para a Náutica de Recreio desde 2011. António Peters não cumpre o novo acordo ortográfico

Comentar