Marinha de Guerra

Navios da Armada Real Holandesa em Leixões

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Encontra-se actualmente em Leixões o submarino S808 HNLMS DOLFIJN, que recordamos faz a segunda visita ao porto, para descanso da guarnição, depois de eventuais manobras realizadas em pleno atlântico, tendo sido acompanhado pelo navio auxiliar A900 HNLMS MERCUUR, que também passou pelo porto numa escala relativamente breve.

Navio auxiliar da Armada Real Holandesa A900 MERCUUR
Navio auxiliar da Armada Real Holandesa A900 MERCUUR

O submarino “DOLFIJN” foi construído pelo estaleiro R.D.M. Submarines b.v., tendo sido lançado o casco em 12 de Junho de 1986 e lançado à água em 25 de Abril de 1990, porém, só integrou a flotilha de submarinos após 29 de Janeiro de 1993, pelo que conta até à data 28 anos de permanente actividade.

Desloca 2.450 toneladas quando à superfície e 2.800 toneladas submerso. Tem 68 metros de comprimento, 8 metros e meio de largura, opera com 3 geradores diesel, 2 baterias e 1 motor eléctrico, que lhe asseguram a velocidade de 11 nós à superfície e 20 nós submerso. Está equipado com 4 tubos lança-torpedos, mas pode igualmente ser utilizado para colocar minas e se necessário proceder ao lançamento de misseis.

No caso do navio-auxiliar A900 MERCUUR, que num passado recente já realizou outras visitas ao porto, é utilizado essencialmente no apoio às manobras e treino das guarnições dos submarinos, e opera com elevado sucesso como alvo e posterior recolha dos torpedos de ensaio, situações que ocorrem ocasionalmente ao largo da costa da Escócia e dos fiordes noruegueses.

Navio auxiliar da Armada Real Holandesa A900 MERCUUR
Navio auxiliar da Armada Real Holandesa A900 MERCUUR

O navio tem um deslocamento na ordem das 1.500 toneladas, 65 metros de comprimento, 12 metros de boca e 4 metros e meio de pontal. A propulsão é feita através de 2 motores diesel, que asseguram uma velocidade de 14 nós. A guarnição é composta de 28 tripulantes, que pode ser alargada até 39 em caso de necessidade, e está armado com 2 tubos de torpedo de 20 mm, utilizados durante os testes. Utiliza igualmente durante as manobras antes referidas, um sonar passivo indispensável para rastrear os torpedos lançados durante as simulações de combate.

Reinaldo Delgado

Autor do blog "Navios e Navegadores", é um amante do mar e dos navios, que fotografa com regularidade. Investigador sobre história marítima (marinhas de guerra e de comércio), é colaborador da Revista de Marinha há vários anos, escrevendo principalmente sobre temas relacionados com o norte do país. Durante a sua vida profissional exerceu funções na agência Sofrena - Sociedade de Afretamentos e Navegação, Lda. de Matosinhos, hoje integrada no grupo E.T.E. - Navex

Comentar