Crónicas

Navios Extra-Despacho 100: Navio-Tanque CERCAL (1952)

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A SOPONATA – Sociedade Portuguesa de Navios Tanques, Lda., foi constituída em 1947 em Lisboa, por iniciativa do Ministro Américo Tomás, com o objetivo de assegurar o transporte marítimo de combustíveis líquidos com navios nacionais.

Não foi uma iniciativa fácil, demorou quase dois anos a concretizar pois mesmo a seguir à II Grande Guerra Mundial, não havia consensos na sociedade portuguesa quanto à utilidade de termos Marinha Mercante própria, e Américo Tomás teve de enfrentar oposições de peso dentro do regime.

A frota inicial da SOPONATA foi composta por 3 navios adquiridos ao Instituto Português de Combustíveis, um organismo do Estado, e por dois navios novos, encomendados pela Companhia Colonial de Navegação ao Arsenal do Alfeite. As primeiras unidades concebidas e encomendadas pela SOPONATA, seriam os 5 navios da classe ALVELOS, entrados ao serviço entre 1950 e 1958. Os dois primeiros, ALVELOS e BORNES, integraram o plano de renovação da Marinha Mercante (Despacho 100), correspondendo às construções previstas para a Companhia Nacional de Navegação e Sociedade Geral. Os três seguintes, foram construídos por iniciativa da SOPONATA, em regime de autofinanciamento, de forma a expandir a frota à medida das previsões de crescimento da economia portuguesa na década de 50 do século passado. O CERCAL foi assim o terceiro navio da classe ALVELOS, e o primeiro construído extra-Despacho 100.

Durante a cerimónia de apresentação do navio em Lisboa, a 17 de Setembro de 1952, o Ministro da Marinha foi recebido a bordo pelo administrador da SOPONATA, Major Vitorino Branco, que salientou a importância da aquisição do CERCAL no contexto da Marinha Mercante portuguesa, destacando que

… a companhia, com os seus navios-tanques, já dispensa o concurso da navegação estranha para transporte dos combustíveis líquidos exigidos pelas necessidades nacionais, e pode até servir os mercados estrangeiros.

O Almirante Américo Tomás proferiu na ocasião algumas palavras, sublinhando a satisfação de se encontrar a bordo do CERCAL – primeiro navio extra-programa da reorganização da Marinha Mercante, e respondeu à atitude dos derrotistas do plano com as palavras seguintes

… sempre houve e haverá “velhos do Restelo”. Sempre existirá quem nos aponte erros. Façamos o possível por que esses erros que nos apontam – os poucos que, com justiça forem apontados – diminuam, para, quando a nossa obra estiver completamente realizada, podermos agradecer a toda essa gente o mal que disse de nós.

Terminou erguendo uma taça de espumante, fazendo votos para que o CERCAL tivesse pelo menos 20 anos de boas comissões e pelos navios que lhe sucedessem.

O CERCAL navegou durante 22 anos e a SOPONATA ainda construiu mais duas gerações de navios-tanques, mas em 2004 a empresa foi vendida a interesses estrangeiros, e hoje, não há um único navio petroleiro propriedade de interesses portugueses, nem ninguém com responsabilidades parece incomodado com essa vil situação. Em termos de Marinha Mercante, Portugal nunca se mostrou ao Mundo tão despido como hoje.

Navios Extra-Despacho 100: Navio-Tanque CERCAL (1952) 15
NT CERCAL (coleção Reinaldo Delgado, Blog Navios e navegadores)

CERCAL (1952-1976)

Características técnicas: Navio-tanque a motor, construído de aço, em 1951-1952. Nº Lloyd’s: 5067364. Nº oficial: H 414; indicativo de chamada: CSMF. Porto de registo: Lisboa (registado na Capitania do Porto de Lisboa a 26-09-1952, livro 17, folhas 115). Arqueação bruta: 11.079 tons; Arqueação líquida: 6.600 tons; Porte bruto: 16.849 tons. Capacidade de carga: 19 tanques para 22.853 m3 de carga líquida a granel. Comprimento ff: 163,72 m; Comprimento pp: 153,01 m; Boca: 21,01 m; Pontal: 11,58 m; Calado: 9,06 m. Máquina: 1 motor diesel Burmeister & Wain a dois tempos, nº 6353, de 7 cilindros com 6.000 bhp a 125 rpm; 1 hélice de 4 pás fixas; Velocidade: 13.5 nós (14.43 nós máxima nas provas de mar). Tripulantes: 41. Navios gémeos: ALVELOS, BORNES, DONDO e ERATI. Custo: £ 918.000.00, cerca de 77.314.000$00.

 

História: O CERCAL foi encomendado pela SOPONATA – Sociedade Portuguesa de Navios Tanques, ao estaleiro belga S. A. John Cockerill, de Hoboken (construção nº. 753), a 29-03-1951. Assente a quilha a 30-06-1951, o navio foi lançado à água a 8-12-1951, dia de Nª Srª da Conceição, tendo sido madrinha D. Alice Pina Lopes Boullosa. As provas de mar decorreram a 10-06-1952 e o CERCAL largou de Antuérpia a 12-06 rumo a Lisboa, mas, verificando-se o funcionamento defeituoso da máquina principal, regressou ao estaleiro a 21-06, acabando por ser entregue à SOPONATA a 12-09-1952, tendo saído de Antuérpia nesse mesmo dia para Lisboa (15-09). Foi seu primeiro Comandante o Capitão da Marinha Mercante António Dionísio de Jesus. A 17-09 o CERCAL foi visitado em Lisboa pelo Ministro da Marinha, Américo Tomás e mais entidades oficiais, atracado ao cais da Rocha. A 27-09-1952 o CERCAL largou do Tejo para a viagem inaugural a Aruba. De 15-01 a 22-04-1953 o CERCAL fez uma viagem à volta do mundo, em operação no mercado internacional, com escalas nos portos de Lisboa, Port Arthur, Panamá, Kure, Sasebo, Rastanura, Suez, Port Said e Lisboa. A 23-06-1960, quando o CERCAL manobrava para entrar no porto de Aruba deu-se o falecimento do Comandante, Capitão da Marinha Mercante Fausto Neves Elyseu. A 17-06-1968 o CERCAL foi objeto de nova arqueação, passando a ter 11.153 TAB e 7.180 TAL. Em 1970 o porte bruto foi aumentado para 17.562 tons. Após 22 anos de serviço, o CERCAL completou a última viagem em Lisboa a 4-06-1974 e foi desarmado a 27-06 seguinte, permanecendo imobilizado no Mar da Palha. De 1952 a 1974 o CERCAL completou 175 viagens (65 ao Golfo Pérsico, 38 a Moçambique, 26 à América Central, 24 no Continente, 16 a Angola, 1 ao Oriente e 13 classificadas pela Junta Nacional da Marinha Mercante como viagens diversas), em que transportou 3.300.010 tons de combustíveis, gerando 635.237 contos em fretes. Posto à venda a 28-02-1976, o CERCAL foi comprado por João Luís Russo & Filhos para desmantelamento e registado em Lisboa, a favor deste sucateiro, como embarcação de Tráfego Local, com o nº oficial Lx-3094, sendo o registo da SOPONATA cancelado na mesma data. Rebocado para Setúbal, o CERCAL começou a ser desmantelado a 20-09-1976.

Nota do autor: os valores de TAB e TAL são referidos em toneladas moorsom. O porte bruto (deadweight) é expresso em toneladas métricas

Nota da redação: artigo originalmente publicado na edição em papel nº 1020, Março/Abril de 2021

Luís Miguel Correia

Fotógrafo e Investigador de História Marítima. Autor do blog Os navios e o mar (https://lmcshipsandthesea.blogspot.com/) e diretor da EIN-Náutica. É diretor-adjunto da Revista de Marinha.

Comentar