Ambiente Autoridade Marítima

RECCUA 2021 treinou o combate à poluição no Douro

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Na passada segunda-feira, dia 25 de outubro, pelas 09h45, a APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, promoveu o Simulacro RECCUA 2021, um exercício de combate à poluição fluvial por derrame de hidrocarbonetos, do 3º grau, conforme denominação no “Plano Mar Limpo”.

O exercício decorreu na Via Navegável do Douro (VND), na zona dos cais da Régua e de Lamego, que como se sabe é área de jurisdição da APDL e da Capitania do porto do Douro, entre os concelhos do Peso da Régua e Lamego.

Barco-hotel INFANTA no cais da Régua, participante no exercício Reccua 2021
Barco-hotel INFANTA no cais da Régua, participante no exercício

Para o efeito a APDL disponibilizou os meios necessários e os serviços na emergência, como entidade de colaboração e cooperação à Autoridade Marítima, que através do Capitão do porto do Douro assumiu a função de COS (Comandante das Operações de Socorro) articulando com a APDL, CDOS, Polícia Marítima, Marinha Portuguesa, Departamento Marítimo do Norte, Instituto de Socorros a Náufragos, Guarda Nacional Republicana, Polícia de Segurança Pública, Bombeiros Voluntários da Régua e de Lamego, e o Instituto Nacional de Emergência Médica, entre outras entidades e agentes de proteção civil.

Através desta atividade, houve a intenção de providenciar uma adequada, equilibrada, expedita e eficaz mobilização dos meios disponíveis, com a finalidade de combater um derrame (combate à poluição), decorrente de dois cenários:

  • Colisão de uma embarcação MT (marítimo-turística) contra o cais da Régua, provocando-lhe um rombo no tanque de combustível, com consequente derrame de hidrocarbonetos;
  • Eventual acidente no posto de combustível da GALP / Petrogal, sito no cais comercial de Lamego, com consequente derrame de hidrocarbonetos para a zona envolvente.
Lancha da APDL
Lancha da APDL

Porque é também do conhecimento público, a APDL, enquanto responsável pela segurança marítima e portuária na sua área de jurisdição (Portos do Douro, Leixões, Viana do Castelo e VND), cumpre-lhe por isso definir as condições de segurança e de funcionamento dos referidos portos e da VND, em todas as suas vertentes, tendo em atenção a necessidade de garantir, de forma adequada, a sua exploração comercial.

O exercício “RECCUA 2021” visou cumprir com o estabelecido no “Plano Mar Limpo” (PML), nomeadamente assegurando os padrões de prontidão dos meios da APDL no âmbito do Plano de Segurança e Emergência da Via Navegável do Douro, da Autoridade Marítima Nacional e dos restantes organismos do Sistema de Autoridade Marítima, bem como de outras entidades responsáveis nas suas áreas funcionais e de jurisdição, relativos às operações de prevenção e resposta a um incidente de poluição do meio marinho.

Reinaldo Delgado

Autor do blog "Navios e Navegadores", é um amante do mar e dos navios, que fotografa com regularidade. Investigador sobre história marítima (marinhas de guerra e de comércio), é colaborador da Revista de Marinha há vários anos, escrevendo principalmente sobre temas relacionados com o norte do país. Durante a sua vida profissional exerceu funções na agência Sofrena - Sociedade de Afretamentos e Navegação, Lda. de Matosinhos, hoje integrada no grupo E.T.E. - Navex

Comentar