Náutica de Recreio

Regata de Portugal 2019

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

O conceito de evento de Vela Desportiva destinado ao sucesso

Entre 30 de Junho e 2 de julho teve lugar no magnífico cenário do Estuário do Tejo a 2ª Edição da Regata de Portugal que atraiu ao Terminal de Cruzeiros de Lisboa cerca de 20.000 pessoas, de acordo com os números da organização, e que a Revista de Marinha acompanhou a par e passo durante 4 dias plenos de emoção.

O barco do juri, que apesar da sua simplicidade, nos momentos da largada e chegada, disputa a atenção com os vistosos barcos de competição (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
O barco do juri, que apesar da sua simplicidade, nos momentos da largada e chegada, disputa a atenção com os vistosos barcos de competição (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

O evento contou com um total de 18 regatas disputadas ao longo de 4 dias, sempre com excelentes condições de temperatura e de vento, tanto para o público como para os 24 velejadores presentes, nacionais e internacionais, num cenário perfeito e que se estendeu noite dentro com música e artistas portugueses bem conhecidos do grande público.

O evento estendeu-se noite dentro com música e artistas portuguese bem conhecidos do grande público. (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
O evento estendeu-se noite dentro com música e artistas portuguese bem conhecidos do grande público. (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

Na edição deste ano o layout do recinto sofreu importantes melhorias que em muito contribuíram para o sucesso desta 2º Edição, virando completamente o local do evento para o rio e em que no seu miolo pontificava um sambódromo rodeado por tasquinhas de venda de comida e artesanato, bem como um restaurante sobre-elevado muito bem conseguido, fazendo deste espaço uma zona para toda a família.

A equipa francesa liderada pelo velejador Damien Lehl com as cores da Lusitânia venceu a 2ª edição da Regata de Portugal (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
A equipa francesa liderada pelo velejador Damien Lehl com as cores da Lusitânia venceu a 2ª edição da Regata de Portugal (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

A equipa francesa liderada pelo velejador Damien Lehl com as cores da Lusitânia venceu a 2ª edição da Regata de Portugal. Este velejador somou um total de 43 pontos no total das 18 regatas realizadas durante os 4 dias do evento. A 2ª posição foi conquistada pelo velejador sueco Nicklas Dackhammar, da equipa Makro, com 60 pontos. Seguiu-se a equipa da Gelpeixe que teve aos comandos o australiano Torvar Mirsky com um total de 64 pontos.

As equipas de Gelpeixe, Lusitânia e Makro, com os respetivos prémios de 3º, 1º e 2º lugar. (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
As equipas de Gelpeixe, Lusitânia e Makro, com os respetivos prémios de 3º, 1º e 2º lugar. (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

As equipas portuguesas lideradas por Jorge Lima e Helder Basílio ficaram, nos 4º e 5º lugares, respetivamente. O trio da Rádio Comercial – Jorge Lima, José Costa e Gustavo Lima – terminou com 81 pontos, menos 8 pontos que a equipa do Diário de Notícias liderada por Hélder Basílio.

As duas equipas holandesas presentes protagonizaram um duelo bem renhido ao longo de toda a competição, mas a velejadora Odile Van Aanholt, que comandou a equipa do Sapo, acabou por conquistar a 6ª posição com 106 pontos. A equipa TVI liderada por Tobias Tanis ficou na 7ª posição com 122 pontos. Na 8ª posição ficou a equipa da espanhola Sofia Toro (Nacional) com 149 pontos.

 O trio da Rádio Comercial - Jorge Lima, José Costa e Gustavo Lima – terminou com 81 pontos, classificando-se em 4º lugar  (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
O trio da Rádio Comercial – Jorge Lima, José Costa e Gustavo Lima – terminou com 81 pontos, classificando-se em 4º lugar  (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

Todos os 24 velejadores que estiveram em prova elogiaram as condições vividas durante estes 4 dias de prova: bom tempo, cenário maravilhoso e muita adesão por parte do público” Mariana Lobato

Mariana Lobato, responsável pelas Operações Mar da Regata de Portugal, acrescentou que a adesão às experiências (speed boat e hot seat) foi um sucesso.

Mariana Lobato Mariana Lobato, responsável pelas Operações Mar da Regata de Portugal integrou a equipa World Match Racing Team  (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
Mariana Lobato Mariana Lobato, responsável pelas Operações Mar da Regata de Portugal integrou a equipa World Match Racing Team  (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

Durante os 4 dias do evento o Rio Tejo foi invadido pelas cores e pela velocidade dos Trimarans à Vela Diam 24 e também por um palco flutuante que contou com muita animação e diversão. Julgamos, contudo, ao contrário da nossa própria expetativa, que a experiência do palco flutuante terá de ser repensada, uma vez que acabou por constituir uma barreira visual para o público que assistia às regatas a partir do recinto em terra, afastando as regatas para longe do público, o que não beneficiou o espetáculo que se pretende o mais perto possível dos espetadores.

Também julgamos que a entrega dos prémios beneficiaria se for feita em terra para que o público possa estar o mais perto possível dos seus heróis, e não distante, como aconteceu, uma vez que teve lugar no palco flutuante.

 a experiência do palco flutuante terá de ser repensada, uma vez que acabou por constituir uma barreira visual, afastando as regatas para longe do público, o que não beneficiou o espetáculo. Igualmente a entrega dos prémios beneficiaria se for fosse em terra para que o público possa estar o mais perto possível dos seus heróis (foto Doroteia Serrão - instagram)
A experiência do palco flutuante terá de ser repensada, uma vez que acabou por constituir uma barreira visual, afastando as regatas para longe do público, o que não beneficiou o espetáculo. Igualmente a entrega dos prémios beneficiaria se for fosse em terra para que o público possa estar o mais perto possível dos seus heróis (foto Doroteia Serrão – instagram)

Uma palavra de muito aplauso para a Zona VIP que foi criada para o evento deste ano e que tirou partido dos passadiços do Terminal de Cruzeiros, o que permitiu uma vista inigualável sobre o Estuário do Tejo. Também a rever o painel de comentadores que acompanhavam as Provas de Vela, os quais muitas vezes estavam desfasados dos acontecimentos que tinham lugar na água, para além de não terem os devidos conhecimentos técnicos da modalidade para informar devidamente o público presente.

A Zona VIP tirou partido dos passadiços do Terminal de Cruzeiros, permitindo uma vista inigualável sobre o Estuário do Tejo (foto fxmc instagram)
A Zona VIP tirou partido dos passadiços do Terminal de Cruzeiros, permitindo uma vista inigualável sobre o Estuário do Tejo (foto fxmc instagram)

Este é claramente um evento com um conceito que veio para ficar e que junta o Desporto da Vela, Cultura e Gastronomia numa simbiose muito feliz e que muito poderá trazer para a expansão do Desporto da Vela em Portugal, aproximando as populações do Mar.

A 2ª edição da Regata de Portugal foi um sucesso e podemos arriscar dizer que encontrámos uma fórmula vencedora de vela e animação junto ao rio, que queremos replicar durante os próximos anos, aproximando, desta forma, o grande público da Vela.

Francisco Mello e Castro, CEO da Regata de Portugal

o veleiro da Gelpeixe, liderado pelo australiano Torvar Mirsky, navegando frente a Alfama (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)
O veleiro da Gelpeixe, liderado pelo australiano Torvar Mirsky, navegando frente a Alfama (foto Ricardo Pinto, Regata de Portugal)

A Regata de Portugal foi certificada pelo programa Clean Regattas da Sailors for the Sea Portugal, uma associação sem fins lucrativos que pretende contribuir para a sustentabilidade dos oceanos e mares.

A Revista de Marinha lá estará de novo no próximo ano para dar o seu contributo à divulgação e promoção da 3ª Edição da Regata de Portugal.

Eduardo Almeida Faria

Licenciado em gestão, tem uma larga experiência no associativismo desportivo, é especialista no tema da Náutica de Recreio, tendo feito parte do Conselho Nacional da Náutica de Recreio e, no âmbito do Fórum Oceano, integrado o Grupo Dinamizador do Portugal Náutico. É autor da obra “Náutica de Recreio em Portugal – Um pilar do Desenvolvimento Local e da Economia do Mar” e de inúmeros artigos e noticias na Revista de Marinha e no Jornal da Economia do Mar. Como desportista náutico tem muitas milhas percorridas pela costa portuguesa e pelo Mediterrâneo em veleiros de cruzeiro, quer em lazer, quer em regata.

Comentar