Etiqueta

Lisboa

Browsing

Com 366 metros de comprimento, o novo porta contentores da MSC, é o maior navio com bandeira portuguesa*.

A Mediterranean Shipping Company (MSC) registou o seu mais recente porta-contentores no Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR), estando, desde junho, já a navegar sob bandeira portuguesa.

O MSC VIRGO, que tem um comprimento total de 366 metros e 51 metros de largura, foi construído em 2020, nos estaleiros da Hyundai na Coreia do Sul, e pelas suas dimensões tornou-se o maior navio alguma vez registado sob bandeira portuguesa. A sua capacidade de transporte é de 15.000 TEU e tem 153.100 t de arqueação bruta.

A MSC, o segundo maior armador do mundo, espera registar no MAR mais três navios de dimensões semelhantes, mantendo-se como um dos armadores internacionais com mais embarcações registadas no Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM), com mais de 50 navios.

MSC VIRGO, a manobrar frente ao estaleiro da Hyundai Heavy Industries, na Coreia do Sul, onde foi construído (imagem cedida pelo MAR)
MSC VIRGO, a manobrar frente ao estaleiro da Hyundai Heavy Industries, na Coreia do Sul, onde foi construído (imagem cedida pelo MAR)

O registo internacional da Madeira, é um dos maiores registos europeus e já conta com 680 embarcações.

Numa altura em que é fundamental criar condições para atrair investimento e dinamizar a economia nacional e regional, o registo deste navio é mais um sinal de que o CINM, desta feita através do Registo Internacional de Navios, um dos seus três sectores, pode contribuir para a retoma económica do País e da Região. (Paulo Prada, CEO da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira)

O MAR assinalou, no exercício de 2019, um crescimento de cerca de 10% em termos de navios registados com 680 embarcações, fazendo deste registo internacional português um dos maiores a nível europeu, quer em termos de tonelagem de arqueação bruta quer em termos do número de navios.

O registo de mais uma embarcação desta natureza no MAR, em particular uma nova construção, bem como a expetativa de mais três registos semelhantes ainda este ano pode ser visto como um incentivo importante para o sector do transporte marítimo e da economia azul em Portugal”

acrescentou Paulo Prada.

Portugal tem vindo a desempenhar um papel cada vez mais relevante, ativo e de influência em matéria de transporte marítimo na União Europeia e junto das organizações internacionais do sector, como são os casos da Organização Marítima Internacional (IMO) e a European Maritime Safety Agency (EMSA), com sede precisamente em Lisboa.

O gigantesco porta-contentore MSC JADE, com 398m, tem mais 32m que o VIRGO, mas a sua silueta é muito semelhante.
O gigantesco porta-contentore MSC JADE, com 398m, tem mais 32m que o VIRGO, mas a sua silueta é muito semelhante.

A qualidade e o respeito pelas convenções internacionais e leis nacionais faz do MAR um dos registos europeus de maior qualidade, quer em termos da idade dos navios, da qualidade das companhias registadas e procedimentos de controlo e inspeção, explicando assim porque a bandeira Portuguesa se posiciona nas “listas brancas” elaboradas pelas entidades internacionais responsáveis pelo sector.

O MAR tem desempenhado ainda um papel fundamental no processo de reflagging de bandeiras não-Europeias, indo de encontro ao incentivo da UE para que os armadores europeus operem sob bandeiras dos Estados-Membros, tendo em vista o reforço da competitividade deste sector europeu no mundo.

(Fonte: José Barata, JLM&A, Consultores)

* Nota da redação: Os maiores navios portugueses antes do MSC VIRGO foram os três super-petroleiros da SOPONATA, NEIVA (1976), NISA e NOGUEIRA, com 346,23m de comprimento e 153.027t de AB. O MSC VIRGO tem 366m de comprimento e 153.100t de AB.

O super-petroleiro NEIVA, a navegar em 1977 (imagem do blog a ver navios)
O super-petroleiro NEIVA, a navegar em 1977 (imagem do blog a ver navios)