Modelismo

Uma breve pausa…

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Vitalino Chitas pegou num marinheiro artilheiro da guarnição do USS Enterprise CV-6 , à escala 1/10, e transformou-o num Sub-Tenente Fuzileiro da nossa Armada.

Recentemente a marca Abteilung 502, mais conhecida no meio modelístico pela sua gama de produtos para realizar efeitos de volumes e desgastes (óleos, pigmentos, resinas e consumíveis) lançou mais um busto à escala 1/10.

Trata-se de um marinheiro artilheiro da guarnição do USS Enterprise CV-6. Interessante q.b., mas não me “move”.

Artilheiros fazem fogo com peças Oerlikon de 20mm a bordo do porta-aviões USS ENTERPRISE (CV-6) em 1942. Foram estes homens que inspiraram o modelo da Abteilung 502 (U.S. Navy National Museum of Naval Aviation)
Artilheiros fazem fogo com peças Oerlikon de 20mm a bordo do porta-aviões USS ENTERPRISE (CV-6) em 1942. Foram estes homens que inspiraram o modelo da Abteilung 502 (U.S. Navy National Museum of Naval Aviation)
A caixa do modelo da Abteilung 502
A caixa do modelo da Abteilung 502

O Vitalino Chitas pegou nesta peça e com algum trabalho extra, transformou-o num Sub-Tenente Fuzileiro da nossa Armada. Foram alteradas algumas características faciais com a adição de um bigode, boina e respectiva âncora, na camisa as passadeiras com o posto de Sub-Tenente, o crachá de Fuzileiro Especial, um relógio de pulso, a aliança e para completar, a fivela do cinto – todas estas alterações feitas com diferentes massas de modelar (mais ou menos maleáveis de acordo com as necessidades do artista).

Metamorfose do marinheiro norte-americano para o fuzileiro português (imagem O modelo da Oerlikon pronto para a pintura (imagem Vitalino Chitas)
Metamorfose do marinheiro norte-americano para o fuzileiro português (imagem O modelo da Oerlikon pronto para a pintura (imagem Vitalino Chitas)

Concluídas as alterações e dado o primário, a peça foi pintada com a habitual mestria com a qual nos tem maravilhado com as suas peças nos eventos e reuniões modelísticas nacionais (e internacionais). A pintura de figuras é bastante diferente do que habitualmente vos trago nesta crónica, com mais modelações e variações das cores, e a esta escala, com mais detalhes a fazer. Se num navio poderemos dizer que faltou este ou aquele detalhe e desculparmo-nos com a escala ser pequena, aqui não há espaço para falhar, sendo particularmente difíceis a pintura dos olhos e os tons de pele… algo que todos nós rapidamente detectamos que não está correto – independentemente de sermos ou não modelistas. O fardamento está de acordo com o que se usava, desde a boina azul-ferrete, à camisa, às calças e ao cinto, com a fivela escurecida. Outro pormenor, engraçado e fora do vulgar, é a tatuagem no braço esquerdo da figura e pintada também de forma exemplar, que serve quase como um carimbo temporal e de autenticidade ao conjunto e que me reporta rapidamente à minha recruta (todos os instrutores eram FZE’s).

O modelo da Oerlikon pronto para a pintura (imagem Vitalino Chitas)
O modelo da Oerlikon pronto para a pintura (imagem Vitalino Chitas)

Mas este conjunto não se limita ao busto, pois incluído na caixa vem uma Oerlikon 20mm que maior parte dos leitores conhecerá. O pedestal e o escudo vêm seccionados/ cortado pela altura da cintura do busto – criando um conjunto interessante sem se tornar num “pequeno monstro”. Felizmente para o Vitalino, a Oerlikon apenas precisou de pintura e de alguns desgastes e volumes.

Com algum trabalho foi realizada uma peça com presença e com potencial para dar muitas boas memórias a quem a ver – e é essa a razão de eu ter pedido ao autor para poder fazer esta crónica com o seu último trabalho!

Perspectiva do modelo acabado, mostrando a Oerlikon (imagem Vitalino Chitas)
Perspectiva do modelo acabado, mostrando a Oerlikon (imagem Vitalino Chitas)
Outra perspectiva do quadrante direito da figura de modelismo, mostrando a perfeição do acabamento (imagem Vitalino Chitas)
Outra perspectiva do quadrante direito da figura, mostrando a perfeição do acabamento (imagem Vitalino Chitas)

Sei que o Vitalino Chitas, amigo de longa data e um excelente pintor e escultor, com o foco do seu interesse no Exército Português, fez uma das suas primeiras incursões na temática Naval, que espero sinceramente que não seja a última – talvez um desafio seja uma figura na sua escala habitual de 54mm?

Parabéns Vitalino!

Bons Modelos,

Rui Matos

Modelista Naval amador, co-fundador da Associação de Modelismo de Almada em 1996 e membro do International Plastic Modellers Society-UK desde 2006. Iniciou a sua colaboração com a Revista de Marinha em 2009.

Comentar